Destaques Polícia

Sargento dá dicas para evitar incêndios na rede elétrica em imóveis

22 de março de 2021

Apenas no ano passado, foram registradas 583 ocorrências, resultando em 26 mortes em todo o país. / Foto: Divulgação

PASSOS – O 2º sargento do Corpo de Bombeiros em Passos Rodrigo Junio de Oliveira aponta as gambiarras e a falta de cuidados ao manusear e instalar equipamentos elétricos como uma das principais causas de incêndios em imóveis e acidentes na rede elétrica de origem doméstica.

O correto é que para cada aparelho elétrico tenha uma tomada. É importante planejar bem a quantidade de tomadas suficientes para atender todos os aparelhos elétricos e os que possam vir a ser adquiridos no futuro. Além desse cuidado, é preciso utilizar materiais certificados e instalados por profissionais, nunca se aventurar ou descuidar na utilização e manuseio com equipamentos elétricos e ter precaução no uso de “Ts”, benjamins e extensões para conexão simultânea”, afirma o sargento.

Segundo ele, em Passos, desde 2019, não há registros de incêndios em edificações causados diretamente por equipamentos elétricos. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) emitiu um alerta à população para que as pessoas redobrem a atenção com as instalações elétricas durante o período de isolamento social devido aos riscos de incêndios ocasionados por mau uso.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), no ano passado foram registradas, no país, 583 incêndios causados por aparelhos elétricos, resultando em 26 mortes, sendo o Sudeste a região com o maior número de ocorrências, com 181 casos.

Dicas

Para evitar ocorrências de acidentes elétricos, o site oficial do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais orienta nunca mexer na parte interna das tomadas, seja com os dedos ou com objetos (tesouras, agulhas, facas, etc.), não deixar as crianças brincarem com as tomadas, não tocar em aparelhos elétricos quando estiver com as mãos ou o corpo molhados, não mudar a chave de temperatura do chuveiro elétrico com o corpo molhado e o chuveiro ligado, não pisar em fios caídos no chão, principalmente se a queda foi consequência de uma tempestade, e nunca substituir fusíveis ou disjuntores por ligações diretas com arames ou moedas.

A corporação também alerta sobre a proibição de ligações clandestinas (gatos) e para não deixar lâmpadas, velas acesas e aquecedores perto de cortinas, papéis e outros materiais inflamáveis, além da sobrecarga nas instalações e outros cuidados para evitar os riscos de incêndios.