Destaques Polícia

Prefeito de Alpinópolis aciona Polícia Civil contra ameaças

5 de junho de 2021

Foto: Divulgação

ALPINÓPOLIS – O prefeito de Alpinópolis, Rafael Freire, afirmou ter recebido ameaças nos últimos dias por conta de ações para combater a pandemia no município, principalmente em relação a restrições ao funcionamento do comércio para evitar aglomerações e proliferação da covid-19. Segundo Freire, tanto ele como familiares têm recebido ameaças de morte e de agressões físicas e também há investidas de ataques à prefeitura.

Conforme Freire, o discurso de ódio estaria sendo inflamado por setores da sociedade alpinopolense.

“Já acionei a Polícia Civil para que providências sejam tomadas. Não bastassem me ameaçar, ameaçam também os meus familiares. Tudo porque optei seguir a ciência e preservar a vida destas pessoas, inclusive. Não vou admitir que isto prossiga”, afirmou o prefeito.

Ainda de acordo com Freire, quando a integridade física de uma autoridade que foi constituída pelo voto popular é colocada em risco, é também um atentado contra o Estado Democrático de Direito.

“Não tomo estas medidas porque eu quero, as tomo porque é necessário para evitar mais mortes”, disse.

Em suas redes sociais, o prefeito escreveu sobre uma entrevista dada pelo presidente da Câmara de Alpinópolis a um radialista passense quando aponta que Rafael Freire é um ‘ser satânico’. Na postagem, Freire questiona o comportamento do parlamentar.

“Ele afirmou com todas as letras que “Querem derrubar o Rafael”. É este o comportamento de um homem público? Quem está por trás disso? Quem financia esta tentativa que ele próprio diz, de derrubar o meu governo? Vocês não sabem a força que isso me dá para não desistir. Para não abandonar o meu povo neste trágico momento. Comandar um barco em mar calmo é fácil. Difícil é ter coragem para navegar em um mar agitado. E isto nós estamos fazendo. Vidas estão sendo salvas. Um dia a história mostrará que agimos rápido e evitamos uma tragédia maior. Não terão o meu silêncio, muito menos o meu recuo. Respeitem a vida do povo alpinopolense”, informou Freire.