Destaques Polícia

Polícia Civil faz operação Faroeste em Nova Resende e outras cidades

10 de fevereiro de 2021

Foto: (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

BELO HORIZONTE – A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, nesta terça-feira, 9, a última fase da operação Faroeste, na região Sul do estado. O objetivo é reprimir crimes patrimoniais cometidos na zona rural de Três Pontas e região e foram cumpridos nove mandados, quatro de prisão e 16 de busca e apreensão, além de cinco de apreensões veiculares, nos municípios de Três Pontas, Varginha, Boa Esperança e Nova Resende. Segundo a PCMG, uma organização criminosa composta por 16 membros foi desmantelada durante as três etapas do trabalho policial.

Houve também autorização de um bloqueio de 250 sacas de café depositadas em uma cooperativa, no valor aproximado de R$ 150 mil, com o propósito de viabilizar o ressarcimento das vítimas”, acrescenta a delegada regional em Varginha, Renata Rezende.

Segundo o delegado Gustavo Gomes, titular da Delegacia em Três Pontas, nas primeiras fases da operação foram apreendidos dois tratores, 50 sacas de café, implementos agrícolas e maquinários. Já nesta terceira fase, além das ordens judiciais, ainda foram localizadas quatro armas que estavam em posse dos investigados.

Essas armas geraram dois flagrantes, além das prisões já determinadas. Também foram apreendidos um veículo com suspeita de adulteração, droga, celulares e grande quantidade de ferramentas com indicativo muito claro de terem sido alvos de crimes na região”, afirma.

As investigações tiveram início em janeiro do último ano, quando ocorreu um roubo na zona rural de Três Pontas, onde 17 pessoas foram mantidas em cárcere privado. Ao longo da apuração, foram identificados quatro suspeitos de liderar o grupo criminoso, bem como responsáveis pela execução, receptação, transporte e levantamento de informações, sendo todos eles alvos da operação.

Segundo as apurações, o grupo agia encapuzado, de forma violenta, e usando armas de fogo. No total, o material apreendido totaliza cerca de R$ 800 mil, valor estimado de prejuízo às vítimas. Os investigados estariam envolvidos em, ao menos, quatro roubos, seis furtos, além de diversas receptações, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A operação realizada ontem contou com a participação de 60 policiais civis do 6º Departamento de Polícia Civil e da Coordenação Aerotática (CAT) da PCMG, e contou com o apoio do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).
Faroeste. O nome da operação faz alusão à quantidade de crimes e ao modo violento empregado pelos suspeitos na maior parte deles, o que deixava uma sensação de insegurança para a população rural.