Destaques Polícia

PC prende suspeito de abusar de filha com transtorno mental

30 de janeiro de 2021

Foto: Agência Brasil

BELO HORIZONTE – A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, nesta sexta-feira, 29, um homem de 50 anos, suspeito de estuprar a própria filha, de 15, que tem transtorno mental. Segundo a polícia, a detenção foi feita em cumprimento a um mandado de prisão preventiva. Ainda de acordo com a corporação, as investigações revelaram um histórico de agressão do suspeito contra a mãe da vítima, de 48 anos, que teriam acontecido por quase três décadas.

Conforme relata a titular da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam) em Ibirité, Naira Rajab Bassul, a esposa do suspeito, acompanhada da mãe dele, compareceu à unidade em setembro do ano passado e relatou os abusos contra a adolescente.

Ela ainda contou que tinha fugido com a filha para o suspeito não as localizar e que, inclusive, teria sido vítima, por 27 anos, de diversos abusos, que envolviam agressões físicas, verbais e psicológicas”, detalha.

Segundo testemunhos dos outros três filhos do casal, numa dessas agressões, a mãe teria perdido um dente e sofrido um aborto”, completa a delegada.

De acordo com a denúncia da mãe da adolescente, o investigado teria, em vários momentos, trocado a frauda da jovem, tarefa que não costumava fazer, para tocar as partes íntimas dela. Em outras ocasiões, o homem foi flagrado passando o pênis no rosto da menina.

Segundo a mãe, ele chegou até mesmo a falar que adoraria manter relações sexuais com uma filha virgem”, observa Bassul. “Mas é importante ressaltar que, mesmo não tendo havido conjunção carnal, a lei prevê que os atos libidinosos em tese configuram o crime de estupro de vulnerável”, esclarece.

Ao ser ouvido na delegacia, o investigado negou todos os fatos. Posteriormente, ele foi encaminhado ao sistema prisional. Ele será indiciado pelo crime de estupro de vulnerável. Os levantamentos relativos às violências sofridas pela esposa do preso já foram concluídos e encaminhados à Justiça. Quanto ao inquérito que investiga o estupro da adolescente, a PCMG aguarda últimos laudos periciais para conclusão do caso.