Destaques Polícia

Operação atende 1,9 mil vítimas de violência contra crianças e adolescentes

17 de julho de 2021

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

BELO HORIZONTE – A Polícia Civil de Minas Gerais concluiu, nesta sexta-feira, 16, a operação Acalento – mobilização nacional de combate à violência contra crianças e adolescentes. Na ação, que durou cerca de 40 dias, foram atendidas 1.978 vítimas (cerca de 50 por dia), com 342 medidas protetivas solicitadas e 113 pessoas presas e ou apreendidas.

Em Minas Gerais, a operação mobilizou os 19 departamentos de área da Polícia Civil, além do Departamento Estadual de Investigação, Orientação e Proteção à Família (Defam), em Belo Horizonte, num total de 498 municípios participantes, escolhidos como prioritários para receber a ação. As estatísticas apuradas ao final da Acalento, no estado, representam de 10% a 20% do número total das ações realizadas em todo o país, nas 27 unidades da federação.

No período, também foram instaurados 857 inquéritos policiais; realizadas 1.668 visitas e diligências policiais; e lavrados 151 Boletins Circunstanciados de Ocorrência (BOC) e 153 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO). Além disso, as equipes da PCMG cumpriram 33 mandados de busca domiciliar, 22 mandados de busca e apreensão de adolescentes e 46 mandados de prisão.

A operação Acalento, desencadeada a partir do dia 4 de junho, é coordenada pela Secretaria de Operações Especiais (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), com o objetivo de combater crimes contra crianças e adolescentes nos 26 estados e no Distrito Federal. A iniciativa visa ainda coibir atos infracionais praticados por esse público contra crianças e adolescentes.

Na capital mineira, o Defam, por meio da Divisão Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad), foi responsável por coordenar e executar as cinco fases da operação Acalento, realizadas nos dias 17 e 29 de junho e em 1º, 7 e 16 de julho. Houve, ainda, a prisão de um foragido, no Espírito Santo, no dia 2 deste mês. Ao todo, foram efetuadas 17 prisões, incluindo cinco em flagrante, e oito adolescentes suspeitos de prática de atos infracionais (contra outras crianças e adolescentes) foram apreendidos.