Destaques Polícia

Ocorrências de incêndio chegam a 221 em 4 meses

6 de agosto de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

S.S. DO PARAÍSO – O número de ocorrências de incêndio registradas em São Sebastião do Paraíso nos últimos quatro meses mais do que dobrou em relação ao mesmo período de 2019. Segundo dados do 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar, neste ano já foram realizados 221 atendimentos dessa natureza, contra 84 no ano passado.

De acordo com o sargento Giovani Duarte, o aumento considerável no número de incêndios durante os meses de abril, maio, junho e julho deste ano se deve a três motivos principais:

A maioria dos nossos atendimentos foi decorrente de ação humana, ou seja, incêndios criminosos. O aumento também foi devido ao período de seca prematuro e à falta de manutenção dos lotes vagos”. Ele explica que, na maioria das ocorrências, os bombeiros puderam constatar que a vegetação estava crescida e havia presença de entulhos.

Ainda conforme os dados do 2º Pelotão, a maior parte das ações de combate a incêndio nesse período ocorreu em lotes vagos no perímetro urbano de Paraíso. Ao todo, foram 144 ocorrências registradas; no mesmo período de 2019, houve apenas 52 casos. Contudo, a zona rural também tem sofrido com esse tipo de incidente: 34 incêndios em quatro meses, contra 14 no ano passado.

E, dos últimos quatro meses, julho foi o que apresentou os piores resultados. Dos 78 casos registrados, três ocorreram em residências; dez, em entulhos, lixões e amontoados de madeiras; dois, em veículos após pane elétrica; 20, em áreas rurais; e 43, em lotes vagos dentro da cidade.
Diante dos fatos, o sargento Giovani fez um pedido à comunidade:

Pedimos a conscientização da população, pois os incêndios afetam a qualidade do ar, consequentemente, traz prejuízos para o meio ambiente e a saúde das pessoas, além dos riscos de incêndio em residências, matas nativas e acidentes em rodovias devido ao acúmulo de fumaça
na pista”.

O militar ainda lembrou que provocar incêndio de qualquer natureza é crime ambiental, passivo de multa e prisão.

Está tudo previsto nas leis e o autor responde pelos seus atos, prejuízos e danos causados. Colocar fogo em terreno, ainda que seja para fazer limpeza, e provocar fumaça, causando poluição, ainda que não haja vítimas, é considerado crime de incêndio”, concluiu o bombeiro.

Nas últimas semanas, dois homens foram presos e dois menores apreendidos em São Sebastião do Paraíso, depois de terem ateado fogo em dois terrenos baldios, uma área de preservação permanente e em vegetação localizada à margem da rodovia MG-050.