Destaques Polícia

Nos três primeiros dias do ano, 17 pessoas morrem afogadas em MG

9 de janeiro de 2021

O Corpo de Bombeiros alerta para os riscos de afogamento e outros acidentes comuns em cachoeiras. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – O Corpo de Bombeiros (CBMMG) alerta para os riscos de afogamento e outros acidentes comuns em cachoeiras, lagos e rios durante o período do verão. Para evitar que a diversão vire tragédia, é fundamental seguir normas de segurança preconizadas pela corporação. De acordo com o CBMMG, somente nos três primeiros dias deste ano, 17 pessoas morreram em afogamentos ocorridos em Minas Gerais.

A corporação destaca que, no ano passado, 333 pessoas morreram afogadas em cachoeiras, lagoas e rios do estado. O número representa um aumento de 18% em relação ao ano anterior, 2019. Chama a atenção o aumento no número de afogamentos em Minas a partir de 2018, e também aumento no número de mortes nesse tipo de ocorrência.

Daí a importância de alertar a população para comportamentos de risco, principalmente no verão, época considerada a mais crítica do ano devido a maior procura de banhistas pelo lazer nas águas. O calor e as férias escolares ampliam ainda mais a busca por atividades próximas à espelhos d´água e afins.

Nas estatísticas do CBMMG, janeiro é considerado o mês mais crítico do ano para acidentes dessa natureza, seguido de dezembro. No período, há um aumento médio de 30%  na quantidade de fatalidades em comparação aos outros meses do ano.
Os dados de 2021 representa um recorde: as 17 mortes nos três primeiros dias do ano representam mais da metade de todas as mortes ocorridas em janeiro do ano passado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, para evitar que o período de férias e de descanso com a família seja interrompido por uma tragédia ou por um acidente grave, é preciso seguir algumas dicas, que são extremamente simples.