Destaques Polícia

MP e PM cumprem mandados de busca em sucateiros e suspeitos de receptação de fios

2 de agosto de 2022

Alvos da ação são sucateiros, empresas de ferro-velho e compradores suspeitos de receptarem fios e cabos de cobre./ Foto: Divulgação.

ALPINÓPOLIS – A Promotoria de Justiça de Alpinópolis, órgão do Ministério Público de Minas Gerais, com apoio da Polícia Militar, cumpriu na manhã desta terça-feira, 2, mandados de busca no município e também em São José da Barra e Guaxupé.

Os alvos foram sucateiros, empresas de ferro-velho e suspeitos de receptação de fios e cabos de cobre e outros materiais usados em transformadores de alta-tensão e padrões de energia elétrica de estabelecimentos comerciais e propriedades rurais.

Segundo o promotor de Justiça Cristiano Cassiolato, um mandado foi cumprido em Guaxupé, outro em São José da Barra e seis em Alpinópolis. Não houve prisão. Até a tarde de ontem, de acordo com o MP, o material apreendido ainda não havia sido avaliado.

“Essa operação é resultado de um trabalho conjunto da Promotoria de Justiça de Alpinópolis com a Polícia Militar e teve por objetivo coibir a constante prática de furtos em padrões de energia elétrica na zona rural, e também na área urbana, além da destruição de transformadores de energia elétrica. O propósito dos criminosos é retirar o cobre e, a partir disso, algumas outras pessoas receptam esse material criminoso com o objetivo de de auferirem lucro colocando isso no mercado”, disse.

A operação é resultado de ocorrências registradas pela PM em razão da prática de furto de padrões de energia, transformadores em zona rural e fiação elétrica.

Segundo apurado, a atividade criminosa consiste na destruição dos equipamentos elétricos, remoção da fiação e materiais, o que gera prejuízo a inúmeras propriedades urbanas e rurais. Os investigados receberiam os produtos furtados para descaracterizá-los e revenderem no exercício da atividade comercial.

De acordo com o promotor, além dos prejuízos a propriedades, os furtos podem acarretar perdas na produção rural e também risco de desabastecimento para as áreas urbanas.

“Primeiro de tudo é o prejuízo. A reposição desses materiais é extremamente cara, tanto padrões elétricos como transformadores. Em segundo, atividades rurais, como a produção leiteira, podem ser paralisadas em razão da destruição desses equipamentos e a retirada da fiação. E também na área urbana, porque uma vez que determinados transformadores sejam destruídos com esse propósito criminoso, a população poderia ficar desabastecida de energia elétrica”, afirma Cassiolato.

Além da Promotoria de Justiça de Alpinópolis, participam da operação seis equipes da Polícia Militar.

Cássia

A Polícia Militar em Cássia registrou duas ocorrências de furto de fiações neste final de semana. Na sede do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), o furto foi de vários objetos, entre eles, o celular do centro usado para enviar mensagens via WhatsApp para os pacientes atendidos no local. Com isso, os trabalhos da equipe ficaram prejudicados. Caso precisem se comunicar com Caps, a prefeitura pediu para usar o telefone fixo: (35) 3541-5128.

O outro furto foi na quadra da Escola Municipal João Carlos Salgado. Segundo a prefeitura, os ladrões levaram as instalações elétricas do local. Furtos também ocorreram nos postes da avenida dos Produtores, onde também levaram os fios.