Destaques Polícia

Idosos são alvos de ‘golpe do agente de endemias’ em Paraíso

16 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação

S.S. DO PARAÍSO – Dois casos de crimes envolvendo falsos agentes de endemias chamaram a atenção nesta semana em São Sebastião do Paraíso. Tanto a Polícia Militar quanto a Prefeitura Municipal fizeram alertas para evitar novas ocorrências. Conforme publicação nas redes sociais do Executivo, uma pessoa tentou enganar moradores de diversos bairros, exigindo dinheiro em troca da visita do falso agente. Nas duas situações registradas pela Polícia Militar, as vítimas são idosos acima dos 60 anos, que foram vítimas de estelionato e furto. Os autores não foram identificados.

Ambas ocorrências foram registradas na última quinta-feira, 14. A primeira, aconteceu por volta de 12h30 na Rua Letônia, no Residencial San Genaro. O morador, um pedreiro de 62 anos, relatou à PM que foi até sua casa um indivíduo magro e alto, dizendo ser um agente epidemiológico. Ele usava máscara azul, camiseta de manga comprida cinza, calça bege, botas pretas, boné branco, além de uma bolsa de cor amarela com alça preta.

O autor, então, solicitou entrada na residência alegando que precisava jogar veneno nos locais em que havia acúmulo de água, para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. A vítima levou o homem até o quintal, onde esse simulou que estava misturando algo na água e pediu que o pedreiro esvaziasse todas as vasilhas com água parada no ambiente.

Nesse momento, a vítima entrou na casa e se descuidou, percebendo que o suposto agente de endemias estava revirando seu guarda-roupas, dentro do quarto. Ele tentou disfarçar afirmando que estava procurando mais focos de água parada e cobrou R$38. A vítima desconfiou e alegou que só teria R$20, tentando impedir o autor de encontrar o dinheiro que possuía. O indivíduo, então, aceitou a quantia e foi embora.

A PM realizou rastreamento pelas ruas e bairros próximos, mas o autor não foi localizado. Os militares mostraram para o setor de Vigilância Sanitária do município imagens de câmeras de monitoramento, de uma residência próxima. O setor informou que o autor não é agente de endemias e que os profissionais não estavam agendados para cobrir a área na data do crime.

Pouco tempo depois, às 13h30, outra casa foi alvo de crime parecido, na rua Samuel Soares, no bairro Jardim Alvorada. Dessa vez, as vítimas foram um casal de aposentados, ambos de 83 anos. Eles não souberam dizer o que o autor do crime vestia, mas informaram que se tratava de um indivíduo alto, magro de cor branca, que carregava uma bomba de pulverização verde.

De acordo com a PM, o homem entrou na casa, também com a alegação de ser agente epidemiológico da Vigilância Sanitária. Ele orientou que os moradores cobrissem as panelas, dizendo que iria pulverizar o quarto do casal. Aproveitando da distração das vítimas, o indivíduo arrombou o cadeado de uma caixa e furtou cartões de créditos das vítimas, ambos com as senhas, além de R$50 e todos os documentos pessoais dos casais, fugindo em seguida. Apesar de ter realizado rastreamento nas proximidades, até a tarde de ontem, a polícia não identificou o autor.
Alerta

Ao tomar conhecimento dos crimes, a Prefeitura Municipal de São Sebastião do Paraíso publicou um vídeo nas redes sociais, como resposta ao fato de que uma pessoa se passou por agente de endemias “para enganar moradores de diversos bairros e exigir dinheiro em troca da visita”. Nele, o coordenador de zoonoses, Luciano Santana, esclarece que os cidadãos podem identificar os agentes de endemias pelo seu uniforme: calça marrom, botina preta, camiseta branca com o brasão do município (às vezes, ele pode estar usando colete marrom), boné e bolsa pretos.

Em caso de dúvidas, os cidadãos não devem permitir a entrada na residência, devem entrar em contato com a polícia, com a Guarda Municipal ou com a Prefeitura pelo telefone 3539-1040. A Polícia Militar suspeita que os autores podem estar agindo em conjunto, que possivelmente não são residentes no município e podem vir a praticar os mesmos crimes em outras cidades da região.