Destaques Polícia

Homem é preso por incêndio às margens da rodovia MG-050

Por Ralph Diniz / Especial

4 de agosto de 2020

O ACUSADO FOI PRESO POR POLICIAIS RODOVIÁRIOS DEPOIS DE ATEAR FOGO EM VEGETAÇÃO EM DIVERSOS PONTOS DA MG-050, EM PARAÍSO. BOMBEIROS TRABALHARAM MAIS DE 2 HORAS PARA CONTER AS CHAMAS. / Foto: Divulgação

S.S. PARAÍSO – Um homem acusado de atear fogo em vegetação situada às margens de um trecho da rodovia MG-050, em São Sebastião do Paraíso, foi preso pela Polícia Rodoviária Estadual no sábado, 1º. A equipe do Corpo de Bombeiros levou mais de duas horas para conter as chamas.
Segundo informações do 2º Pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de São Sebastião do Paraíso, motoristas que trafegavam pela rodovia se depararam com um homem ateando fogo na vegetação existente próximo ao trevo de acesso ao município de Pratápolis. Eles, então, comunicaram o fato a um funcionário da concessionária AB Nascentes das Gerais, responsável pela manutenção da via, que também testemunhou a autoria do crime ambiental.

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Rodoviária Estadual foram imediatamente acionados, e o acusado, de 26 anos, preso em flagrante. Com ele, foram encontrados uma caixa de fósforo e um frasco com solvente de tintas altamente inflamável. O homem estava aparentemente embriagado e disse aos militares que ateou fogo na vegetação em diversos pontos da rodovia. Diante dos fatos, ele foi preso e conduzido à 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil.

Para conseguir conter as chamas, a equipe de combate a incêndios do Corpo de Bombeiros teve que trabalhar por mais de duas horas. Cerca de 15 mil m² de vegetação foram consumidos pelo fogo.
O comando do 2º Pelotão dos Bombeiros ressalta que iniciar uma queimada de forma intencional é crime e pode gerar pena de até 4 anos de reclusão e multa. De acordo com o artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais, a prática é criminosa por poluir na forma de fumaça, além de causar riscos para habitantes, destruir a vegetação e causar a morte de animais. A pena é válida tanto para grandes queimadas para desmatamento quanto para pequenos atos, como atear fogo em lixo doméstico ou em folhas no quintal.