Destaques Polícia

Família tem esperança de encontrar corpo de Felipe Tadeu

16 de julho de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – Familiares de Felipe Tadeu Benedito, de 30 anos, estão esperançosos de que o corpo dele ainda seja encontrado, mesmo depois de o pelotão do Corpo de Bombeiros Militar de Piumhi ter dado as buscas por encerradas. Ele foi vítima de afogamento no dia 27 de junho, no Lago de Furnas.

De acordo com várias testemunhas que estavam na mesma lancha que Felipe, ele teria pulado da embarcação, que estava em movimento, e, desde então, não mais foi visto. O fato ocorreu pouco antes das 20h, nas imediações da ponte do Rio Turvo, no município de Capitólio.

Um dos irmãos da vítima, José Rodrigo Benedito, de 36 anos, afirma que a família e os amigos querem ter certeza de que Felipe morreu mesmo e, caso isso se confirme, que o corpo seja localizado para que eles possam dar um adeus digno.

As declarações das testemunhas – de que a vítima se jogou na água – não convencem José Rodrigo.

Não acredito nessa hipótese, mas também não posso afirmar que uma outra pessoa que estava na embarcação esteja envolvida no afogamento do meu irmão, que sabia nadar muito bem e estava só de short. Na hora do ocorrido eu estava em Carmo do Rio Claro e agora só confio nos trabalhos periciais dos policiais civis de Piumhi”, declarou.

Segundo ele, todos que participaram do passeio tinham ingerido bebida alcoólica.

Provas não faltam. Na semana seguinte ao afogamento, recebi vários vídeos através do WhatsApp que confirmam isso. Inclusive o condutor e o proprietário da lancha. E quando eu cheguei ao Turvo, após o incidente, a maioria das pessoas que estava na embarcação já tinha ido embora. Das que ficaram, cada uma dava sua versão sobre o caso”, contou.

Sobre a suspensão das buscas pelo corpo de Felipe, que morava com os pais no Carmo, José Rodrigo disse aceitar a decisão porque ela foi tomada por uma autoridade militar competente, mas ressalta que gostaria que os profissionais ficassem no local por mais um tempo. Ele revelou que desde 27 de junho ele e o pai acompanharam todos os dias, presencialmente, os trabalhos dos bombeiros de Piumhi.