Destaques Polícia

Em sete anos, Delegacia Virtual chega a 1,5 milhão de registros

3 de Maio de 2021

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

BELO HORIZONTE – Com sete anos de funcionamento, completados nesta sexta-feira, 30, a Delegacia Virtual chega a cerca de 1,5 milhão de registros. De acordo com informações do governo de Minas, a plataforma é um sistema online desenvolvido pela Polícia Civil de Minas Gerais para que o próprio cidadão possa solicitar o registro de ocorrências pelo computador ou celular, sem precisar sair de casa.

A Delegacia Virtual permite o registro de acidentes de trânsito sem vítima, ameaça, comunicação de pessoa desaparecida, dano, descumprimento de medida protetiva de urgência, extravio de documentos, extravio de objetos pessoais, furto, lesão corporal e vias de fato/agressão.

Desde 2014, foram registradas, ao todo, 1.565.959 ocorrências em todo o estado pela Delegacia Virtual. Extravio de documentos é a modalidade mais procurada pelo cidadão, com 1.010.064 solicitações de registro, seguido de acidente de trânsito sem vítima (421.584), extravio de objetos pessoais (94.134) e furto (24.503).

A inclusão de crimes de violência doméstica foi uma inovação implementada na Delegacia Virtual pela PCMG em julho de 2020, atendendo à necessidade de ampliar os canais de denúncia de crimes contra mulheres, crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência em meio ao período de pandemia de covid-19, quando as famílias passaram a ficar mais isoladas em casa. Desde então, já foram recebidas pela plataforma 2.638 denúncias dessa natureza, sendo 1.642 pelo crime de ameaça; 388 por descumprimento de medidas protetivas de urgência; 371 casos de lesão corporal e 237 de vias de fato/agressão.

A delegada Luisa de Oliveira Drumond, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) em Belo Horizonte, observa que a Delegacia Virtual é uma ferramenta fundamental para amparar as vítimas de violência doméstica, que, em alguns casos, podem sentir inibição para procurar diretamente a polícia.

Às vezes, por dificuldade de se deslocar até uma delegacia, ou até mesmo por vergonha de revelar um fato íntimo à polícia, as vítimas podem contar com a Delegacia Virtual para tornar essa experiência da primeira denúncia mais reservada”, explica Luisa.

Ela destaca ainda a importância da aproximação da Polícia Civil com mulheres que sofrem violência doméstica.

Precisamos acompanhar de perto essas mulheres, pois sabemos que um primeiro crime pode provocar outros, posteriormente. O pedido de medidas protetivas pela Delegacia Virtual, por exemplo, é muito eficiente para proporcionar esse apoio”, completa.

Para realizar o registro pela Delegacia Virtual, a vítima ou o representante legal deverá acessar o site https://delegaciavirtual.sids.mg.gov.br e, em seguida, selecionar uma das opções relacionadas. Na sequência, os campos disponibilizados deverão ser preenchidos com informações do solicitante, do(s) autor(es), de testemunhas, o local e a data dos fatos, assim como o histórico da ocorrência.

Nos casos de violência doméstica, após a inserção das principais informações, há a possibilidade de requerer a medida protetiva de urgência. O solicitante precisa especificar o tipo de medida protetiva necessária, de acordo com as opções relacionadas na tela.