Destaques Polícia

Detran-Mg registra 517 infrações por uso de álcool e outras drogas

Por Beatriz Silva / Redação

22 de junho de 2020

PASSOS – Dados da Coordenação de Apoio Administrativo do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) mostram que, de janeiro a junho, foram registradas 517 ocorrências relacionadas a infrações por uso de álcool ou outras substâncias nos municípios da região. No semestre, 82,97% dos registros (429) são relativos a direção sob influência de álcool, 4,25% das ocorrências (22) referem-se a direção sob influência de qualquer outra substância psicoativa e 12,76% das apurações (66) são atribuídas a motoristas que se recusaram a fazer testes que permitiam certificar o uso de alguma substância.

O mês de janeiro, com 116 ocorrências registradas, foi o período com maior número de notificações ao Detran-MG. Em seguida aparece fevereiro (113), março (99), abril (98) e maio (82). Até o momento, junho possui nove registros.

A cidade de Passos, com 129 registros, lidera o número de ocorrências relativas a direção sob influência de álcool. O município também possui sete notificações referentes a motoristas sob influência de qualquer outra substância psicoativa e dez pessoas se recusaram a realizar testes ou exames que permitem a certificação da influência de alguma substância.

Desde o início deste ano, em Piumhi, 82 pessoas foram flagradas dirigindo sob influência de álcool, uma sob uso de outra substância psicoativa e quatro se negaram a fazer testes. Em sequência, São Sebastião do Paraíso, com 70 infratores sob uso de álcool, é o terceiro município com maior total de ocorrências, ainda foi registrado quatro notificações para o uso de outras substâncias e 13 pessoas preferiram não fazer testes para detecção.

O Detran-MG alerta que bebida e direção formam uma mistura perigosa e fatal no trânsito. Em nota, o departamento ressalta que os efeitos da substância no corpo humano são duradouros e não devem ser subestimados.

Um copo de cerveja, por exemplo, demora cerca de seis horas para ser eliminado pelo organismo. As variáveis fisiológicas, como idade, gênero e condições físicas, também podem interferir  no tempo que o álcool permanece no corpo”.

Dirigir embriagado implica em infração de trânsito e dependendo do nível de álcool constatado na hora do teste do etilômetro, pode ser considerado crime, conforme estabelece o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

É infração gravíssima, com instauração de processo administrativo para a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por 12 meses, além de uma multa no valor de R$2.934,70. No período de um ano, se houver reincidência, o valor é dobrado e a CNH é cassada”, explica o serviço de trânsito.

Atualmente, até mesmo a recusa do teste do bafômetro constitui infração. A embriaguez ao volante também pode ser constatada pelo policial, observando a capacidade psicomotora do condutor como, por exemplo, o andar cambaleante, olhos vermelhos, hálito etílico e fala desconexa.