Destaques Polícia

Denúncia sobre maus tratos termina em confusão na Aclimação

15 de Maio de 2021

O animal estaria com pneumonia, desidratação, anemia, segundo informações da ONG. / Foto: Divulgação

PASSOS – Uma denúncia sobre maus tratos a animais terminou em confusão, na tarde da última quinta-feira, em Passos. Segundo informações da Polícia Militar, uma jovem de 21, membro de uma organização não governamental (ONG), teria sido agredida após filmar um animal em situação de maus tratos em uma propriedade no bairro Aclimação e o suposto agressor, um homem de 42 anos, teria sofrido agressões ao ser detido por agentes penitenciários.

Ainda de acordo com a PM, o suposto agressor relatou que o caso teria ocorrido após a veiculação, em redes sociais na internet, de imagens sobre a denúncia de que uma vaca, que pertence ao sogro dele, estaria em situação de maus tratos em uma chácara na Aclimação. O sogro, segundo apuração, estaria internado em um hospital.

Segundo a polícia, ele também relatou que teria sido procurado por representantes da ONG, que foram ao local na última terça-feira, e que eles teriam chegado a um acordo sobre a necessidade de chamar um veterinário para analisar a situação do animal e orientar sobre o melhor procedimento a ser adotado.

Ainda de acordo com informações coletadas pela PM, o homem também relatou que teria solicitado que não fizessem uso de imagens gravadas no local para postagens em redes sociais e que, após uma hora, teria encontrado as imagens divulgadas na internet.

De acordo com a PM, o homem relatou ter voltado à chácara e que teria pedido para que as integrantes da ONG deixassem o local, mas que elas teriam começado a fazer novas filmagens. Segundo a polícia, ele também relatou que teria tomado o telefone celular de uma das integrantes da ONG e que teria afirmado que não o devolveria enquanto a polícia não chegasse ao local. Ainda segundo a PM, o homem relatou que teria sido contido por agentes penitenciários que estiveram no local, e que teria sido agredido com socos no olho, na boca e no nariz.

De acordo com a PM, uma das integrantes da ONG relatou que teria sido agredida pelo homem, com socos nas costas, quando fazia as imagens em um telefone celular e que ele teria tomado o aparelho que ela utilizava. Ainda segundo a PM, a integrante da ONG também relatou que teria chegado ao local em companhia de outras duas pessoas e que elas teriam constatado que o animal estaria em situação de “sacrifício” e que teriam feito contato com um veterinário para que o profissional fizesse uma análise do caso.

Segundo informações da ONG, um laudo feito por um médico veterinário teria constatado que a vaca apresenta um quadro de pneumonia aguda, grave desidratação, anemia de grau moderado, escore de condição corporal de 1,5 ponto e inflamação na íris do olho direito do animal.

Ainda de acordo com a PM, o suposto agressor foi detido, mas, por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, não lhe foi imposto o auto de prisão em flagrante e que ele assumiu o compromisso de comparecer ao Juizado Especial Criminal.