Destaques Polícia

Bombeiros resgatam vítima de afogamento no lago de Furnas

Por Ézio Santos / Especial

15 de outubro de 2020

Foto: Divulgação

CARMO R. CLARO – Passadas cerca de 90 horas do afogamento de um homem de 51 anos, seu corpo veio à tona nas água do lago de Furnas, no município de Carmo do Rio Claro (MG), por volta das 11h30 desta quarta-feira. A vítima, identificada como Marcio Viana Schmidt, era natural de São Paulo (SP), mas residia em Conceição da Aparecida (MG) e era proprietário de uma bicicletaria.

De acordo com o Setor de Comunicação do Corpo de Bombeiros, o incidente ocorreu por volta de 16h45 do último sábado, próximo à Estância dos Mouras, no município de Carmo do Rio Claro, próximo da divisa com Ilicínea. Duas pessoas ocupavam uma canoa e tinham a intenção de pescar. Estavam a cerca de 15 metros da margem da represa, em um local com cerca de 20 metros de profundidade. Possivelmente, uma lancha não identificada passou próximo da embarcação em alta velocidade e provocou altas ondas. Os dois ocupantes foram lançados na água e apenas um deles conseguiu nadar até a margem do lago, onde foi socorrido por uma ambulância do Samu.

Equipes de mergulhadores da 2ª Companhia do Corpo de Bombeiros de Passos trabalharam através do sistema de revezamento desde domingo, dia 11, nas buscas pelo corpo de Márcio. Participaram também dos trabalhos um grupo de soldados de busca e salvamento da Delegacia Fluvial (DelFurnas), instalada no bairro de Furnas, no município de São José da Barra. Assim que o corpo da vítima foi avistado próximo do local do incidente, os bombeiros de Passos acionaram a perícia da Polícia Civil de Alfenas (MG), mas, até o final da tarde de ontem, o corpo não havia sido liberado para o sepultamento em Conceição da Aparecida.


Gases

Em condições normais de afogamento, o comum é o morto boiar em no máximo 72 horas. De acordo com o consultor em Medicina Forense Francisco Simão, quando a pessoa morre devido ao afogamento, o processo de decomposição faz o organismo produzir gases (principalmente o metano).

MÁRCIO NÃO SOBREVIVEU APÓS O BARCO EM QUE ESTAVA VIRAR. / Foto: Divulgação