Destaques Polícia

Boi é abatido após ferir aposentado em Passos

24 de julho de 2020

A PM ressalta que o animal chegou a ser laçado, mas havia risco de que ele se soltasse e pudesse ir em direção à avenida Arouca. / Foto: Helder Almeida

PASSOS – Um boi da raça girolando foi morto a tiros na manhã de quinta-feira, 23, após atacar e ferir um idoso no cruzamento das ruas Alagoas e Bernardino de Campos, no bairro Carmelo, em Passos. O animal havia fugido – durante a madrugada – de uma propriedade rural localizada próximo à cidade. Segundo a Polícia Militar, Antonio de Padua Tavares, de 70 anos, teve fratura na perna e lesões nas mãos e no rosto após ser atingido por uma cabeçada e pisoteado. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Para sacrificar o boi, a PM efetuou quatro disparos de carabina IA-2, de calibre 5.56.

Conforme os policiais, o dono do animal, Marcos Joel Campos, de 40 anos, relatou que o boi havia fugido de sua propriedade rural, localizada na linha do Cafezinho, depois que a cerca da fazenda foi danificada, em uma possível tentativa de furto de animais. Depois da fuga, com a ajuda de um laçador, ele tentou capturar o animal, que pesava cerca de 27 arrobas (405 quilos).

Durante a tentativa de captura na área urbana, outro homem, de 62 anos, foi atingido pelo boi, mas não teve ferimentos. A PM ressalta que o animal chegou a ser laçado, mas havia risco de que ele se soltasse e pudesse ir em direção à avenida Arouca, local com grande movimentação de pessoas.
De acordo com a PM, antes de sacrificar o animal, foram feitos contatos com uma clínica veterinária, a Polícia Militar do Meio Ambiente, o Corpo de Bombeiros, um órgão da prefeitura e um laçador profissional na tentativa de sedar ou capturar o animal com vida, mas, por falta de arma e sedativo apropriados, não foi possível a captura.

Ele ficou muito agressivo diante da movimentação da área urbana, entramos em contato com a Polícia Ambiental e procuramos alguns veterinários, mas infelizmente não foi possível resolver a situação. Para que mais ninguém fosse ferido, o proprietário do animal permitiu a execução”, afirmou o tenente Carlos Giovani Gomes, da Polícia Militar.

Uma moradora do local onde os tiros foram disparados, que preferiu não divulgar o nome, afirma que a atitude foi cruel, já que nenhuma sedação foi aplicada no touro.

Achei que a cena foi muito triste, ele estava assustado, mas deviam tê-lo conduzido a um lugar mais calmo ou aplicado algum tipo de tranquilizante. Mesmo com a aprovação do dono, acredito que a situação podia ter sido resolvida de modo menos agressivo”, destacou.

O caso gerou repercussão nas redes sociais e nos meios de comunicação, com pessoas que apoiaram a medida adotada pela PM e outras que desaprovaram. O Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA) divulgou uma nota de repúdio à ação da polícia, na tarde ontem.

MMDA repudia ação de policiais de Passos MG que mataram um boi com fuzil diante da população… Faremos representação no Ministério Público denunciando esta ação e reivindicando a devida capacitação e infraestrutura para os policiais cumprirem a Constituição Federal Brasileira 1988, art. 225 quanto ao respeito aos animais”, informou o comunicado.