Destaques Polícia

Bando ataca agência em Jacuí e um dos suspeitos é encontrado morto

9 de abril de 2021

A ação do bando em Jacuí ocorreu durante a madrugada, quando parte dos criminosos cercaram a sede da Polícia Militar na cidade enquanto outros foram até a agência bancária. / Foto: Divulgação

JACUÍ – Criminosos armados explodiram uma agência do Banco do Brasil em Jacuí, na madrugada desta quinta-feira, trocaram tiros com a polícia e causaram pânico na população. Na tarde de ontem, o corpo de um dos suspeitos foi encontrado dentro de um carro abandonado na zona rural, próximo a Monte Santo de Minas. Na última terça-feira, bandidos cometeram o mesmo tipo de crime em Mococa (SP), próximo à divisa com Minas, e a polícia investiga se os crimes podem ter alguma relação.


O que você também vai ler neste artigo: 

  • PM faz treinamento e realiza operações
  • Passos

A ação do bando em Jacuí ocorreu durante a madrugada, quando parte dos criminosos cercaram a sede da Polícia Militar na cidade enquanto outros foram até a agência bancária. De acordo com imagens gravadas por câmeras de segurança, pelo menos sete pessoas participaram do ataque na cidade. Pelas gravações, a polícia constatou que um veículo Fiat Toro, de cor branca, estacionou na entrada da agência bancária e parte do bando desceu do carro e entrou no local. Após as explosões o interior da agência do banco ficou destruído.

A Polícia Militar encontrou o corpo de um dos suspeitos dentro de um veículo Golf, de cor preta, abandonado na rural que dá acesso a Monte Santo de Minas. Segundo a PM, dois veículos foram usados pela quadrilha. O carro onde o corpo foi encontrado teria sido roubado em Monte Santo de Minas.

Foto: Divulgação

Durante a ação em Jacuí, os criminosos teriam usado o carro para dar apoio aos comparsas e para intimidar os moradores com tiros para o alto. O segundo veículo é uma picape branca, que aparece no circuito de segurança, em frente ao banco. O veículo também foi abandonado na zona rural. De acordo com a Polícia Militar, equipes da região de Jacuí e Guaxupé trabalham para localizar os suspeitos que participaram da ação.

A polícia investiga se o caso tem relação com a ação que aconteceu nesta quarta-feira em Mococa. A cidade fica a 100 quilômetros de Jacuí. Até a tarde de ontem, a quantia de dinheiro levada pelos criminosos não foi divulgada. De acordo com a polícia, além dos dois carros, também foram encontrados outros três veículos, na zona rural de Guaranésia, sendo que junto deles havia explosivos.


PM faz treinamento e realiza operações

Foto: Divulgação

PASSOS- O major da 12º Batalhão da Polícia Militar em Passos Leonardo Abdala Guimarães afirma que a corporação está em alerta e realiza treinamento com operações antiexplosão, que contam com veículos e armamentos pesados. Segundo ele, também há operações preventivas junto às agências bancárias da região, para que a PM esteja preparada em caso de ataques.

Com relação a nossa unidade, nós temos um treinamento. Temos um POP, um Procedimento Operacional Padrão, para atuação nesses casos. Mas, antes disso, nós atuamos diariamente com operações preventivas que ocorrem onde há instituições financeiras. A gente tem o treinamento, tem o POP e estamos pronto para atuar caso ocorra, mas nosso foco é a prevenção”, afirmou o major.

De acordo com o major, a PM reforça as medidas preventivas que a população pode ter em casos como esses. Segundo ele, caso a população observe alguma movimentação estranha em agências, principalmente no período da noite, deve acionar a polícia através do 190 e, quando for ao banco, as pessoas devem se manter alertas em relação a possíveis suspeitos que possam estar na porta e dentro dos locais e, em caso de explosões, os cidadãos devem se abrigar em casa e não sair das residências.


Passos

No dia 11 de abril de 2018, um bando com cerca de 30 criminosos invadiu Passos e explodiu parte das agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, localizadas na avenida Arouca. Eles efetuaram disparos com armas de fogo em diversos pontos da cidade e houve confronto com a polícia. Os tiros atingiram estabelecimentos, outras agências bancárias e prédios e casas residenciais. A ação causou terror na população, fazendo com que escolas suspendessem as aulas.