Destaques Polícia

Acusado de matar pastora vai a júri hoje

Por Adriana Dias / Especial

24 de setembro de 2020

O corpo foi encontrado sem as roupas íntimas, com um arame enrolado ao pescoço. / Foto: Divulgação

PASSOS – O primeiro júri popular a ser realizado em Passos após o fechamento do Fórum, por conta da pandemia, será realizado nesta quinta-feira, 24, a partir das 8h no Salão de Júri, sem a participação popular respeitando as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). O réu é o marido da vítima, Gilberto Adriano de Oliveira, que está preso, acusado de matar a pastora Elaine Aparecida Barros, no dia 24 de fevereiro de 2017. O crime chocou os moradores de Passos. A pastora, de 50 anos na data do homicídio, havia desaparecido no final de semana ela foi encontrada morta em um canavial localizado às margens da rodovia que liga Passos a São João Batista do Glória.
De acordo com a perícia feita pela Polícia Civil à época, o corpo foi encontrado sem as roupas íntimas, com um arame enrolado ao pescoço e coberto por um lençol.

A polícia trabalhou desde o início das investigações com a possibilidade de que o marido da vítima, o também líder evangélico Gilberto Adriano de Oliveira, que tinha 41 anos na época. Ele disse à polícia em 2017 que deixou sua esposa próximo ao Ambulatório São Lucas para fazer uma consulta e que voltou em casa para buscar alguns documentos que havia esquecido. Que ao retornar cerca de meia hora depois não mais a encontrou. Foi ele também quem reconheceu o corpo da mulher, depois que populares o localizaram no meio do canavial e acionaram a Polícia Militar. A vítima estava caída à beira de um carreador, distante cerca de 150 metros da rodovia, já em avançado estado de putrefação, com possíveis sinais de um suposto crime sexual.