Opinião

Qual o momento certo?

POR GILBERTO ALMEIDA 

15 de julho de 2021

Livre-se dos bajuladores. Mantenha perto de você pessoas que te avisem quando você erra“. – Barack Obama

O assunto da semana é a instalação da CPI do Covid, instalada pela Câmara Municipal de Passos. Por todos os cantos da cidade borbulham comentários das mais diversas ordens, bem-intencionados ou não. Nas redes sociais, explodem o palavrório desenfreado e muitos deles irresponsáveis e injustos, outros movidos pela paixão política e quase nenhum trazendo a essência, a verdade do que realmente acontece.

Não podemos deixar de relembrar que Sua Excelência o senhor Prefeito Dr Diego Rodrigo de Oliveira foi eleito com menos de 2 de cada 10 votos dos eleitores passenses totais. Isso deveria impingir-lhe a conquistar a gigantesca fatia de passenses que não lhe avalizou e verdadeiramente temo que esteja até mesmo perdendo companheiros de campanha pelos desgastes naturais do exercício do poder, mas principalmente pela condução que eu classificaria como simplória das questões políticas, do relacionamento com os atores sociais e principalmente a comunicação social, que devem acreditar que se consumará apenas com as estrambólicas publicações nas mídias sociais.

Diante de diversas denúncias referentes à gestão municipal da pandemia no governo anterio r e no atual, que se iniciam da ineficácia da aplicação de recursos públicos específicos para combatê-la, passa por aplicação equivocada de tais recursos em aquisição de objetos injustificáveis e desvinculados dos objetivos para os quais foram enviados, explode nas supostas falsificações de documentos para privilegiar pessoas na fila de vacinação de órgão estadual e se completam com a suspeita de pagamentos de salários exagerados à integrantes da Brigada Municipal e contratos de serviços cuja medição parece ser muito maior que o possível serviço prestado.

Instalar a CPI é direito democrático da oposição e tem como objetivo maior, não o de punir quem quer que seja, mas sim de elucidar fatos e com isso estabelecer a verdade calando os agressores de plantão que parecem viver para agredir e vociferar, seja pela desocupação e alergia ao trabalho ou mesmo alguns, mais jovens, que se dependuram nas “mesadas do papai” que lhes concede um arremedo de trabalho para justificá-las. Já no caso das apurações demonstrarem veracidade das denúncias, que se aplique as punições legais doa em quem doer e punição que nunca poderá ser confundida com algazarras deletérias da internet.

Eis aí um grande momento do governo municipal mostrar provas cabais de que não aconteceram ilicitudes e mais que isso, caso tenha ocorrido algo que tal fato não compôs uma ação de governo, mas sim uma questão pontual e pessoal de quem certamente deverá ser responsabilizado.

É um grande momento de mostrar, o Dr Diego, que se elegeu para uma política nova e muito mais republicana, escancarando para todos a verdade e clareando tudo o que aconteceu até porque, pelo que conheço da tradição do Legislativo passense, dificilmente os trabalhos da CPI descambarão para se assemelhar ao prostíbulo da CPI do Senado Federal, cujos proxenetas maiores são o Senador Aziz, Renan que se somam aos alcoviteiros Randolfe e Otto da Baia.

A tradição de Passos é de embates políticos duros, inflamados, mas principalmente civilizados e certamente a CPI instalada assim procederá e dependendo das diretrizes do governo, poderá prestar um serviço importante para o bem da cidade e do próprio Prefeito.
Eu acredito que a concretização da CPI poderá oferecer pessoalmente ao Prefeito um crescimento e amadurecimento diante do poder. Irá descobrir, ainda jovem, que a fala dos aduladores traz um conforto temerário, enquanto os avisos dos críticos podem, se interpretados sem vaidade, evitar danos muitos deles insanáveis e que podem gerar passivos judiciais futuros, ainda que não tenha existido má-fé ou corrupção, mas descuidadamente deixaram rastros documentais com a mesma moldura, por descuido, inexperiência ou incompetência mesmo.

Mas o clima da cidade está em polvorosa, desde alguns capachos do Prefeito irritados porque a web TV Sul de Minas democraticamente está ouvindo diversos vereadores de todas as tendências, até mesmo muitos defendendo que o momento não é adequado em razão de estarmos no início do governo e a CPI levará a transtornos que podem até evitar a vinda de novas indústrias para a cidade.

Afinal, acho mesmo que estou velho e ultrapassado, porque não consigo, por mais boa vontade que tenha, compreender os argumentos dos que condenam a CPI. Primeiro porque o empresário de verdade, jamais deixaria de investir em uma cidade porque toma atitude para apurar fatos, mas provavelmente se desinteressaria de uma cidade omissa com eventuais desmandos e desatinos sem nada fazer. E por último, não pode nunca existir o momento certo para uma investigação! Ela deve acontecer no momento dos fatos que merecem apuração, ainda que isto acontecesse no primeiro dia de governo. Não pode existir nunca um “habbeas corpus” preventivo contra CPI em início de mandato. Pensando bem, uma coisa de fato, está muito cedo para acontecer: tanta imprecaução e desmazelo por parte dos gestores Municipais. Sequer esperaram a lua de mel para mostrar a que vieram.

GILBERTO ALMEIDA é engenheiro eletricista e ex-político, escreve quinzenalmente, às quintas, nesta coluna.