Do Leitor

Vestibular indígena

24 de fevereiro de 2021

Neste momento em que apenas péssimas notícias são divulgadas, surge como um farol iluminando o futuro, o fato de que a Unicamp está com o vestibular para os indígenas atingindo elevado índice de aceitação, mostrando o verdadeiro benefício de uma Instituição pública, no sentido de dar dignidade ao povo da floresta que desde o descobrimento vive de favores e de uma política nefasta a seus interesses.

Tenho visto muitas entrevistas dos indígenas que já estão estudando e demonstram um sublime entusiasmo, não somente pelo curso em sí que lhes dará conhecimento para ajudar seu povo, mas pela integração e cuidados da Universidade com estudantes vindos de regiões tão distantes.

Pedro Dias – Campinas/SP


Constituição e o deputado

Uma Constituição é a cartilha do povo e que deveria ser respeitada pelos homens do Ministério Público em geral. Há muitos anos ouvimos e lemos pela mídia sobre as ‘intempéries’ provocações do STF. O respeito à Constituição ‘grassa’ crédito ao país, com os países acreditando em sua reputação – não é o que vemos aqui. Justamente os ministros do STF que estão no cargo para defender a reputação da Carta Magna – como é distinguida –, em interesses próprios ‘rabiscam’ esse catecismo, a toda hora.

Agora, quando defendem a absurda imunidade parlamentar, descrita na Constituição, ordenam a PF prender o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ, numa demonstração de que a maneira como encara as prerrogativas inseridas na Constituição só não servem para os próprios.

Hernani José de Castro – São Gonçalo do Rio Abaixo/MG


Dúvida

A propósito da prisão do deputado Daniel Silveira, parece que a questão mais importante não está sendo discutida, ou seja: como o cidadão Daniel Silveira foi admitido em seu partido político? Ninguém verificou seus antecedentes, seu histórico, antes de sua filiação? Ou será que somente são admitidos os que possuem perfil semelhante ao do deputado?

Mario Miguel – Jundiaí/SP