Do Leitor

Triste sina

26 de abril de 2021

A América Latina tem um histórico de ditadores violentos ou corruptos. Na Argentina, Cristina Kirchner voltou como vice-presidente; no Peru, Keiko Fujimori poder ser eleita no segundo turno; no Brasil, Lula volta como um mártir, e é sério candidato em 2022. Não é à toa que, por causa desses tipos de governantes, muitos, injustamente, chamam o continente de América Latrina.

Paulo Boin – São Paulo/SP


Orçamento do centrão

Há muito tempo que não assistíamos a uma aprovação tão atrasada de uma peça orçamentária do País. Aquilo que deveria estar apresentado, discutido e aprovado em dezembro de 2020, em pleno abril/2021, ainda é motivo de discussões enfadonhas no Congresso e no governo.

Motivo? Se você pensou na pandemia errou, o real motivo se chama Centrão, aquele grupo de centro direita que domina o cenário político nacional e detém neste governo fatia graúda do poder e dos recursos do povo. A destinação de R$ 32 bilhões aos parlamentares foi um dos temas que provocaram atrasos e colocaram em risco a economia e estabilidade financeira do País. A aprovação final aconteceu apenas em março com três meses de atraso, provocando atrasos na liberação do 13º dos aposentados, entre outros problemas para a economia do País.

Rafael Moia Filho – Bauru/SP


Atlético

Vários clubes ao redor do mundo estão fazendo uma limpa no elenco para economizar. O Atlético-MG fazendo ao contrário e só se endividando. Mais tarde, a conta chega. Gastou R$ 300 milhões para ganhar um Campeonato Mineiro. Folha salarial de R$ 12 milhões mensais. Insistência com jogadores que não resolvem nada. Categorias de base que não revelam jogadores. Está na hora de fazer uma faxina nesse elenco. Guga, Igor Rabelo, Gabriel, Mariano, Sacha e Nathan já podem ser emprestados ou vendidos. Não deram certo no Atlético, mas podem ter futuro em outros clubes.

Ivan Print – Itabira/MG