Do Leitor

Traíras no time

24 de setembro de 2021

No início da crise do coronavírus, em março de 2020, o STF determinou que o governo federal não se intrometesse no combate à pandemia, de competência dos governadores e prefeitos. As vacinas só foram aprovadas em dezembro de 2020, mas o governo, inclusive na CPI da covid, é responsabilizado pela não aquisição da vacina Pfizer em julho de 2020, e é tido como genocida dado o elevado número de mortes e não efetiva participação no combate. Pela ínfima incidência mundial de casos e mortes de crianças e adolescentes causados pela covid-19, o ministro da Saúde determinou a paralisação da vacinação em crianças e adolescentes, mas os estados e municípios prosseguem e agora têm a imposição determinada pelo ministro Lewandowski. O risco é baixo e a conta é alta e o vilão é o descapitalizado governo federal, que paga tudo, enquanto governadores e prefeitos estão imunes e protegidos até por eventuais incorreções no uso dos vultosos recursos recebidos para aquisição de respiradores e outros insumos. É difícil quando atletas do mesmo time (STF e Congresso) propositalmente fazem gol contra e são aplaudidos pelos reservas, mídia e esquerdistas.

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES

CPI da covid

Basta assistir a uma ou duas sessões da CPI para entender que a falta de idoneidade não está em um dos lados, e sim nos dois. Quem pode acreditar que esse inquérito presidido por velhas raposas venha resultar em efetivo benefício para a sociedade?! Trata-se de escancarada disputa de território eleitoral, onde quem se descontrola mais é premiado com a luz dos holofotes. Triste e desanimador assistir a tal desperdício de recursos em país tão necessitado de propostas factíveis, pautadas no interesse coletivo.

Patricia Porto da Silva – Rio de Janeiro/RJ

Bolsa

Se os Três Poderes cortassem 10% dos seus penduricalhos, mordomias e que tais, o resultado seria muito maior do que o aumento do IOF da nova versão do bolsa família. Será que temos estadistas lá em cima para fazer isso?

Milton Bulach – Campinas/SP