Do Leitor

Tamanho dos direitos

4 de novembro de 2021

O Executivo, extrapolando sua competência, editou norma proibindo a demissão por justa causa de empregado que se negue a vacinar-se. Não vejo ilegalidade no ato patronal porque se baseia em diretriz para salvaguarda da saúde pública, cuja importância se sobrepõe a interesses e direitos individuais. Alguns, não muitos, querem exercer direitos, sem óbices, como se estivessem na situação de Robinson Crusoé (isso sem olhos para o brocardo ubi societas, ibi ius). Com a chegada de Sexta-feira, já os sentiu limitados. Na Física, a inserção de novos corpos numa área determinada diminui os espaços intercalares entre eles; assim também ocorre com os direitos: à medida em que aumenta o número de atores, menores restam os limites do exercício daqueles. Essa redução é amplificada pelas novas mídias, que fazem com que tais atores fiquem ainda mais próximos uns dos outros. E não há espaços desocupados. Os liberais vão ter que se acostumar com a ideia: as limitações dos tais direitos individuais tendem a aumentar, em prol dos coletivos.

Raul Moreira Pinto – Passos/MG

Jogador Maurício

Parece que os patrocinadores do vôlei do Minas Tênis Clube deram um tiro no pé. Os torcedores do time, em sua maioria conservadores, ficaram ao lado do Maurício. Com certeza irão boicotar os produtos e serviços oferecidos pelos anunciantes.

Paulo Roberto Assis Lima – Belo Horizonte/MG

Mistério da facada

Adélio Bispo, um pobretão, comprovadamente sem recursos, esfaqueador do candidato Bolsonaro, foi detido e imediatamente defendido por três advogados. Até hoje é um mistério. Ninguém sabe o porquê da facada e a mando de quem. Os advogados, que surgiram do nada, poderiam dar explicações, mas sua inviolabilidade é garantida, daí não informaram quem os contratou. Estranho é que atualmente, com frequência, inviolabilidades não são respeitadas e a Justiça faz vista grossa, como se fosse normal.”

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES