Do Leitor

Rótulos…

2 de março de 2021

… Dizem (quase) tudo! Gosto de ler rótulos. Viajo nos dados como origem, fabricante, composição, a tabela nutricional, afinal, toda a sorte das informações estampadas nas embalagens. Imagino algumas marcas fictícias fazendo uma linha do tempo.

Gebraut nach dem Deutschen reinheitsgebot von 1.516”. É, o Brasil ainda adolescia enquanto os alemães brindavam sua cerveja “Ei Zé, Baum”. Essa pilsen de 1.516 afirma ser produzida seguindo a lei alemã da “pureza” da cerveja. Infelizmente, a palavra pureza da Alemanha Nazista, lembra o holocausto, o maior crime já praticado contra a humanidade. Tá bom, vamos ajustar nosso prisma. Lembro também que da mesma terra de Hitler, veio Schubert e a pureza maravilhosa da sua obra Ave Maria, uma conexão com o Criador.

Agora no Brasil de 1.853, nasceu a 1ª cerveja: a “ Boah Minha”. Nessa época do Império do Brasil, lamentavelmente ainda havia a humilhação inaceitável da escravidão que só findou em 1888. Grande Princesa Isabel: a coragem, a nobreza e grandeza do seu ato devolveu um pouco de dignidade ao Brasil. Nesses tempos nascia também Carlos Gomes, o compositor clássico da ópera “ O Guarany”.

Em 2014 a cerveja “Mussunzis” é lançada em homenagem ao Mussum, um dos lendários comediantes dos Trapalhões, do Dedé, Zacarias e Didi. É legal, é bom, é gostoso chamar os “amiguis” para umas “beiçadis” nas “ampolis” de “biricutico inigualávis”. Evolução, protagonismo …ainda que tardio.

Agora vamos falar de manteiga. A fábrica “Aviãozão”, fundada em 1920 surgiu logo após Dumont inventar o avião em 1906. Aqui só temos pontos positivos: o Brasil, habitat da Harpia, é o 3º maior fabricante de aviões do mundo através da Embraer, genuina e orgulhosamente tupiniquim. Isso merece um brinde, um cafézinho com queijo e pão com manteiga, Aviãozão, elementar!

O rosto é um rótulo? Estampa, expressa quem somos? Usamos as palavras para interagir positivamente? Guardamos nossa língua da fofoca, das mentiras da nossa lama tóxica? “Quando a esperança está dispersa só a verdade liberta!

Jorge Moreira Maciel – Passos/MG