Do Leitor

Poda drástica

18 de junho de 2021

Numa dessas caminhadas de rotina pela cidade, me deparei com uma cena que, embora comum, me chamou muito a atenção. Em uma residência onde há um belo jardim apenas de rosas, um jardineiro executava a manutenção com alegria e descontração. Sua tesoura afiada, sem piedade forrava o chão daquilo que sempre foi um colírio para quem por ali passasse.

Tive a impressão de que aquele jardim estava com suas horas contadas e, se transformaria numa melancólica saudade. Na volta da caminhada passando pelo mesmo lugar, o jardineiro recolhia as sobras, finalizando assim o seu trabalho.

Olhando com mais atenção, pude perceber que ao menos o tronco de cada roseira fora preservado, embora se encontrassem, solitários e dilapidados, sem o verde das folhas e o perfume das rosas.

Meio intrigado, questionei o jardineiro qual a razão de uma poda tão drástica, já que para mim aquilo significava o fim de uma beleza que muito me encantava. Com toda a simplicidade, porém revestida de uma sabedoria que o tempo e a experiência lhe proporcionaram, ele me respondeu : é preciso a poda para poder florir! Um alivio tomou conta de mim, pois pude vislumbrar o jardim florescendo novamente, belo e formoso, às custas exatamente de uma poda, drástica e impiedosa.

De volta pra casa fui fazendo uma analogia desse tipo de poda com as dores e perdas pelas quais somos submetidos eventualmente em nossa jornada. Na maioria das vezes reagimos com revolta, porque somos imediatistas e por isso não entendemos a necessidade da poda para florirmos.

Não aceitamos a necessidade da poda para que o melhor de nós possa fluir de dentro de nós, para nosso crescimento e para o bem do universo. E por fim, não entendemos a necessidade da poda, para que o ouro que existe dentro de nós possa brilhar reluzente, substituindo o homem velho que insiste protagonizar em nossas vidas, por um homem novo e virtuoso.

Que tenhamos a humildade das roseiras e permitamos a obra divina em nós, mesmo que para isso, sejamos alcançados pelas podas drásticas.

Carlos Valente – Passos/MG E-mail: [email protected]