Do Leitor

O Pigmeu e as estalecas

21 de julho de 2021

Caro (e)leitor(a). Era uma vez na Tubiacanga um mini Pigmeu que queria sentar ao trono a qualquer preço. O Pigmeu, com sua cara de bom moço (só cara) convidou pessoas bem intencionadas e vendeu a imagem de uma nova cidade com uma nova política. Mas, durante sua eleição o pigmeu já deu sinais do que viria a seguir! Ah se aquele jornalista Gigante pudesse escutar um áudio onde o pigmeu diz que não vai pagar a segunda parcela das estalecas por achar que ele não tava fazendo nada. Rezam as línguas, que pigmeu acabou pagando, mas escondido. Será? O áudio existe, será que o Gigante irá descobrir? Até o próximo conto!

Prisca Fagundes – Passos/MG


Volta das cirurgias eletivas

Felizmente, com a ocupação média diária em torno de 60% nos casos da covid-19, os hospitais já se organizam para normalizar as cirurgias eletivas (não complexas). Já que, diferente do pior momento desta pandemia, no qual, tivemos uma média diária de casos acima de 80 mil, e de óbitos em 2.063, hoje, a média de mortes caiu para 1.246. E, em decorrência desta pandemia, hoje, temos uma fila de 130 mil pessoas a espera das cirurgias eletivas. Já que, com a queda de 19% destes procedimentos em 2020, devido a covid-19, as cirurgias de mamas tiveram queda de 43%, e de pele e aparelho digestivo 39% e 34% respectivamente. Não deixa de ser um alivio essa notícia da volta das cirurgias eletivas. Oxalá, se mantenha esse ritmo de vacinados, e, que, nenhuma outra cepa impeça essa queda de infectados e mortes no País…

Paulo Panossian – São Carlos/SP


Justiça

Justiça e direitos humanos são irmãos siameses, embora muitos não concordem com esta aliança. Como professor da Universidade Federal do Espirito Sanos, durante muitos anos, procurei transmitir aos jovens acadêmicos os ideais que alimentavam minha Fé no Direito. Escrevi livros e publiquei artigos em jornais e revistas dentro das linhas doutrinárias que considero acertadas. Sempre dormi com a consciência tranquila porque, no dia de trabalho que precedeu a noite de descanso, não havia traído convicções.

João Baptista Herkenhoff – Vitória/ES