Do Leitor

O comunismo ainda existe…

26 de junho de 2021

… não morreu não!
O professor Pierre Bedouch, que ainda não conheço pessoalmente, mas, acredito que um dia terei tal prazer, fez uma observação (em 21.05.2021), neste jornal, sobre uma carta que publiquei. Disse ele que não concordou comigo. Disse também ter conhecido alguns comunistas importantes. Um deles foi para Cuba e ficou decepcionado com Che Guevara, “assessor” de Fidel Castro. O comunista, conhecido do professor, pelo visto, não concordou com o que acontecia em Cuba! Na sua manifestação, o professor Pierre Bedouch disse que a China não é um país comunista, é capitalista.

Não quero, de forma alguma, desejar ter mais conhecimentos que o nobre professor. Mas, pelo que aprendi e entendo, o fato da China ser capitalista e negociar com o mundo todo, porque seus produtos (muita tranqueira também) têm um custo bem menor, tem uma explicação: o trabalho na China é trabalho escravo, pois o povo é dominado pelo Partido Comunista Chinês, um partido cruel, terrorista e assassino. Lá, a economia é aberta (ao modo deles), mas, o regime político é o regime comunista. Grande parte do empresariado brasileiro, portanto, colabora há anos com a escravidão na China. A ganância não tem limites! O comunismo ainda existe, professor, lá na China e em vários países também. Quanto ao socialismo, aprendi que é um sistema mais econômico (e também político), pois desemboca no comunismo, um regime político, uma forma de governo. Os dois se merecem e se confundem. No início, fala-se em socialismo, igualdade para todos. Depois de enganar o povo, chega o comunismo com seus chicotes e açoites.

Assim penso, professor, com todo o respeito que o senhor merece.

Professor Luiz Guilherme Winther de Castro – Carmo do Rio Claro/MG E-mail: [email protected]

Togas manchadas

Lamentável o STF declarar Moro parcial e anular as condenações de Lula. Tal decisão joga no mesmo saco três desembargadores do TRF-4 e seis ministros do STJ. E envergonha o Brasil. Nos meios jurídicos internacionais nosso conceito está indo pro fundo do poço. As togas não passam de fantasias.

Iria de Sá Dodde – Rio de Janeiro/RJ