Do Leitor

Malthus

14 de outubro de 2021

Malthus é um Pastor e Economista inglês que, em 1798, publicou uma teoria interessante: enquanto a população cresce em Progressão Geométrica (isto é muito depressa), a produção de alimentos cresce em Progressão Aritmética (muito devagar), logo daqui a 30 ou 50 anos as pessoas vão morrer de fome… Lecionando no 2º grau em matemática, Progressão Geométrica e Progressão Aritmética (PA e PG) sempre falava em Malthus. Porque a Profecia não aconteceu? Dizia aos alunos o seguinte:

“No tempo de seus bisavós, ter 10, 15 ou mais filhos era normal. Seus pais tem um, talvez dois, no grande máximo três filhos. Acho que, pelo menos nisso vão imitar seus pais. Se não houvesse pessoas que vem de fora, sobretudo da Ásia e da África, o Brasil estaria se despovoando! Enquanto isto a produção cresceu muito mais que o que era previsto. Hoje toneladas de alimentos, que sobraram vão do supermercado para o lixo. No Brasil ninguém passa fome porque falta alimentos no supermercado. Muita gente passa fome, sim, mas é por causa da distribuição, porque muitas pessoas estão sem dinheiro…”

Vários alunos me disseram: “Professor, nunca pensei nisso. Mas é verdade!

Pierre Bedouch – Passos/MG E-mail: [email protected]

Liberdade de expressão

Que os brasileiros abram os olhos e sejam sensatos. O Prêmio Nobel da Paz em 2021 foi dividido entre os jornalistas Maria Ressa (Filipinas) e Dmitry Muratov (Rússia). O foco de ambos foi salvaguardar a liberdade de imprensa e de expressão de seus conterrâneos – amplamente elogiados pela mídia brasileira. No Brasil, com eleições presidenciais em 2022, o principal candidato, líder disparado nas pesquisas eleitorais divulgadas e provável eleito no primeiro turno, tem como principal objetivo de governo amordaçar a imprensa e tolher a liberdade de expressão dos brasileiros.

Temos muito a evoluir, inclusive saber votar, valorizar o país, a democracia. E, por oportuno esclarecer que, infelizmente, nosso Brasil continental do futebol e da corrupção jamais conquistou um Prêmio Nobel.

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES