Do Leitor

JK, Zema, Tiradentes e Itamar

16 de fevereiro de 2021

A cara pálida do sol nascente enunciava um dia diferente! A água, o ar, o fogo e a terra deram de supetão lá onde o vento faz a curva. Sucedeu-se titânica explosão atemporal, que misturou na mesma mesa, o Tiradentes, o Zema, o Juscelino e o Itamar. Saboreavam café com pão de queijo canastra, e a prosa rendia….

– Mas então, Tiradentes – falou o Zema – , funcionou esse trem aí de Liberdade Ainda que Demorada?

– Uai…Sim, Zema, os impostos eram altos e injustos. Lutei para libertar Minas e o Brasil.

– Mas, me diga aí Juscelino – indagou Tiradentes – o que cê fez pela nossa nação?

– Uai Joaquim José, trabalhei de médico, fui prefeito de Berzonte, deputado federal, presidente do Brasil, construí

Brasília, fundei Furnas e a Cemig…dizem que foram “ os anos dourados do progresso!

Aí, o JK pergunta:

– E aí, que co’cê fez pr’essas bandas Itamar?

– Jota, brinca o Itamar, fui o presidente do Brasil com o plano real e aprovei o artigo 14, da Constituição mineira, que diz que a Cemig, só pode ser privatizada com o aval da ALMG e referendo do povo.

Aí, o Itamar diz:

– Uai, Zema, falando em Cemig, soube co’cê quer vendê-la. Que a estão sucateando, desmoralizando e precarizando os serviços. Cê sabe que a energia da Cemig poderia ser a mais barata do Brasil sem os altos impostos? A Cemig é lucrativa, é o braço direito que Minas confia. Porque vender? Cadê a ALMG?

Aí o Zema, em catarse, responde:

– Uai gente…cês tem razão sô, precisamos de foco. As estatais são importantes, olhem a Petrobrás agora, olhem a Caixa pagando o Auxílio Emergencial, como ajudam o Brasil… vou parar qu’esse trem de vender a Cemig.

…Fuihhhhhiuissssnnn ! Nova explosão, e tudo volta ao normal … e a vida ardia sem explicação!
A história registra o que você constrói…ou destrói! Como quer ser lembrado?

Jorge Moreira Maciel – Passos/MG


Planos econômicos

Em época de pandemia e quando se discute o auxílio emergencial, por que os bancos não pagam aos poupadores o que lhes é devido? Os bancos já ganharam muito durante todos estes anos sobre as diferenças da correção das cadernetas.

Alvaro Salvi – Santo André/SP