Do Leitor

Escolha de vacina

14 de julho de 2021

Espantoso o número dos que ainda querem “levar vantagem em tudo”. Vai ser muito difícil construir um país contando com pessoas que se negam a vacinar-se com o imunizante que não é do seu gosto pessoal. O raciocínio, egoístico, é que se quer o melhor e o pior que fique com os outros.

Raul Moreira Pinto – Passos/MG


Sem paciência

A CPI da covid é uma mula manca, palanque político para responsabilizar Bolsonaro, fonte dos recursos distribuídos para o combate à covid-19, enquanto na ponta, de fato, acontecem as efetivas providências na luta contra o coronavírus e desvios de recursos financeiros para outros fins, às vezes até escusos. Para os inquisidores, o principal alvo é o presidente, enquanto a farra grossa está nos estados e municípios. Daí a CPI ficar às tontas convocando e reconvocando as mesmas pessoas, às vezes até como investigadas, para repetir e repetir as mesmas perguntas. Haja paciência!

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES


Zema, Bolsonaro e as vacinas

O quieto governador das Gerais começou seu mandato vacilando entre o apoio ao presidente Bolsonaro e o silêncio. Chegou a entrar na onda contra a vacina CoronaVac do Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac. Porém, diante da inanição do governo Bolsonaro e da incapacidade do Ministério da Saúde, Zema percebeu um pouco tarde que havia pegado o trem errado, visto que a vacina paulista estava sendo enviada e ao lado da Fiocruz eram as únicas que o povo teria por muito tempo. Talvez tenha percebido que o inimigo não era o João Doria, nem muito menos o secular Instituto Butantan, mas, sim, aquele que ele contrariando o próprio partido demonstrou apoio.

Rafael Moia Filho – Bauru/SP