Do Leitor

Do Leitor: O papel dos poderes

9 de abril de 2020

A função das escolas, além de ensinar, é educar seus alunos.

Estuda-se em várias fases até chegar ao topo do ensinamento. Aprendemos o que seria democracia, socialismo, as funções das instituições mais importantes do país, sendo três os poderes existindo em harmonia e independentes. As casas legislativas criam as leis; cabendo ao Executivo segui-las em seus intentos, obedecendo aos projetos votados; ao Judiciário, um dos mais valorosos, cabe, antes da entrega ao Executivo, conferir se é constitucional ou não.

 

Só após a aprovação deste examinadas, as intenções das leis, essas seguem para o Executivo, podendo colocá-las em prática ou não. Assim, vetar ou aceitá-las, executando o desejado. Tudo isso inserido nos ‘papéis’. Portanto, deveria ser ‘imexível’ – segundo termo de um dos ministros do Trabalho, quando no cargo. Assim, deve a população também conferir o que se aprova, esperando a legalidade das ações para defender os três poderes. Mas o tempo vai passando, os homens que se apoderam desses cargos, eleitos ou ‘premiados’ por indicações políticas, comportam-se segundo os seus ‘padrinhos’. Portanto, o aprendizado nas escolas passando, a ser ‘mexível’ , a bagunça toma lugar da legalidade. O facultado às casas legislativas e ao Judiciário é usado fora das leis, passando a proceder, apenas, ao ‘irmanados entre si’. Pior, ainda, passam a ‘mandar’ no todo- poderoso do Palácio do Alvorada.

 

Hernani José de Castro

São Gonçalo do Rio Abaixo/MG

 

O amor conjugal

Com base no amor, todas as coisas em nossa vida são resolvidas. Mesmo os olhos de tigre de um velho homem ambicioso, quando ele está apaixonado, tomarão a forma da lua, como ela aparece numa pintura, e a sua boca desprovida de expressão começará a sorrir. É o amor o que pode derreter completamente algo que foi congelado como também é ele que pode congelar algo que foi derretido. O amor é o que pode incluir pólos extremos e ainda fazer sobras. Se observarmos com cuidado o caractere chinês ho (= ser bom, gostar) vemos que ele é escrito combinando o homem e a mulher. Há um ditado popular que diz que briga entre homem e mulher é como cortar água com uma faca. Quando se corta água com uma faca ficam cicatrizes? Não, não ficam. Mesmo após uma luta, uma vez que eles encostem suas testas uma na outra e sorriam, a paz retornará. (127-245, 15.5.1983) S.M.Moon.
O amor de esposo e esposa tem como finalidade chegar até Deus. (127-109, 5.5.1983) S.M.Moon

 

Aparecida Baldini – Passos/MG