Do Leitor

Criticar por criticar!?

7 de janeiro de 2022

Tenho visto, nas modalidades de mídias, críticas dos adversários e mesmo inimigos políticos ou até pessoais do capitão e presidente Jair Messias Bolsonaro. Críticas demonstrando verdadeiro ódio ou raiva contra ele. Nunca gostei da palavra “crítica” e nem mesmo o termo “crítica construtiva”, pois já vem carregado de uma conotação pejorativa, por mais branda que ela seja emitida, na fala ou na escrita. Sempre que ministrei cursos de oratória, após o discurso de um participante, me dirigia a todos dizendo que faria uma ou algumas observações sobre a apresentação daquela pessoa, no sentido de orientar. Também aceitava as argumentações dela.
Voltando aos críticos do presidente, o que exige atenção é ver que criticam por criticar: não gosto dele, não sabe governar e por aí vai…
Não vejo, entre muitos que já observei, a explicação ou exposição dos erros cometidos pelo presidente, não vejo sugestões e nem orientações sobre o que acham que ele deveria fazer, mudar, etc. O que vejo é uma perseguição infernal até por quem deveria respeitar a ordem e a Constituição: parte de outros poderes fazendo de tudo para destruir seu governo. Sai prejudicado o Brasil inteiro. E a China comunista está por trás disso, é claro!
Também vemos pessoas ofendendo gratuitamente outras que nem conhece, chamando-as de idiotas, imbecis ou algo parecido. Quando não o fazem de maneira explícita, tentam fazer disfarçadamente. Algumas que assim agem são até prolixas na escrita. Deselegância pura! Já na mídia televisiva, há vários entrevistados dando suas opiniões, discordando, concordando, mas, mostrando suas razões, com classe, categoria e respeito. Não ofendem ninguém!

Professor Luiz Guilherme Winther de Castro – Carmo do Rio Claro/MG E-mail: [email protected]

Vacinação

Um lado alardeava sem parar que sem a vacina não sobreviveríamos. Pois bem, agora o outro lado resolveu também terrificar dizendo que os vacinados é que vão morrer… Olha que está difícil entender este País, viu!? Numa hora dessas, só mesmo Gonzaguinha: “Eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita.” Meu Deus!

Ricardo C. Siqueira – Niterói/RJ