Do Leitor

Cloroquina de volta (o assunto)

7 de Maio de 2021

Em tempos difíceis, tento, sem talento, o humor. Que venham o vinho quinado (aperitivo de aguardente da década de 50), a água tônica de quinino, da Antárctica naturalmente, e a casca de quina para mastigar. Só não valem quina de mesa e quina de sinuca… Já que casca de árvore está na moda, lembrei-me de outra: barbatimão que, além de cura de feridas pelos pajés, por supostamente ser cicatrizante, era usada antigamente nos curtumes. Daria, hoje, um bom creme facial para curtir cara-de-pau, cujo número vai se tornando imenso; entretanto, não deve esse aumento ser motivo de preocupação, pois madeira de desmatamento é o que não falta.

Raul Moreira Pinto – Passos/MG


Querem sempre mais

Os “nobres” congressistas brasileiros querem flexibilizar leis para ganhar mais dinheiro, se reeleger e continuar no poder. É só isso que eles querem (com raríssimas exceções). Desejam sair desta pandemia vivos e com mais grana para se perpetuar, como muitos dinossauros do Senado e da Câmara. Topam tudo por dinheiro e só pensam nos eleitores em época de eleição. O Poder que mais representa a democracia e o povo é o que mais os destrói.

Emerson Luiz Cury – Itu/SP


Imposto de Renda

Quase 5 milhões de pessoas não pertencem mais à classe média, segundo o Instituto Locomotiva (Estado, 3/5). Dentre as causas, faltou mencionar o escorchante desconto compulsório do Imposto de Renda na fonte, devido à não correção da tabela há seis anos. A classe média é composta basicamente de trabalhadores formais, que não tiveram nenhuma ajuda do governo na pandemia. Sofre com a inflação e esse aumento malandro de imposto. Claro que ela fica com menos poder de compra e, consequentemente, paga menos impostos por não poder consumir. É ou não um tiro no pé? Servidores públicos de alto escalão e políticos não passam por isso, já que grande parte de seus salários é paga como ajuda de custo, na forma de penduricalhos, não taxados como renda. E o mentiroso presidente se faz de morto.

Luiz Antonio Amaro da Silva – Guarulhos/SP