Do Leitor

Carne e osso

13 de outubro de 2021

Diz-se que o Brasil é o maior produtor de proteína animal do planeta, mas uma parcela significativa de seu povo, por falta de recursos, disputa ossos para se alimentar. Milhares de economistas arrolarão milhares de argumentos para explicarem as razões que geram a terrível situação; diria o meu instrutor do Tiro de Guerra, 60 anos atrás: explica mas não justifica. Não há responsável pela desgraça. Descartes disse que a coisa mais bem distribuída no mundo é o bom senso; todos acham  que o possuem em demasia; o mesmo se dá, negativamente, com a culpa; ninguém acha que a tem, nem minimamente. Não há quem defenda os pobres; temos bancadas da bala, evangélica, ruralista, mas não temos bancada dos pobres.

Governantes e legisladores convergem no sentido de que há de se alinharem ao estrato econômico superior da sociedade. A principal providência é dar esmola estatal e com ela fazer propaganda. No íntimo sinto ter uma parcela de culpa, mas não tenho solução; não sou economista – aliás, por isso  mesmo não sou.

Raul Moreira Pinto – Passos/MG

Chega de impostos

Toda empresa, quando abre o seu capital, obtém recursos a baixo custo para crescer e gerar mais empregos. A empresa, após pagar todas as despesas e impostos, inclusive Imposto de Renda, se houver lucro, parte do lucro remunera os sócios sob a forma de dividendos.

O acionista é sócio da empresa porque ele detém ações e, por imposição do governo, ao invés de reduzir despesas da sua onerosa máquina pública, novamente quer, de forma abusiva, cobrar Imposto de Renda sobre os dividendos pagos ao acionista. A isto se denomina bitributação, que passou na Câmara e precisa ser barrada no Senado.
Chega de impostos! A carga tributária existente é mais que suficiente, basta reduzir despesas e administrar com inteligência e sobriedade.”

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES