Do Leitor

Brasil e os impeachment

22 de junho de 2022

 

Os cara pintadas – O impeachment de Collor foi de 29 de set. de 1992 a 30 de dezembro de 1992. Durou 3 meses. Foi rapidinho..
Os camisa amarela – Já o processo de Dilma Rousseff teve início em 2 de dezembro de 2015 e teve uma duração de 273 dias, foi até 31 de agosto de 2016. Foi rapidão.

Os cara de pau – Ao Jair tudo é permitido. Qualquer coisa a turma de bem fica quietinha, no senado abrem uma comissão para investigar e mandam para o Aras engavetar.

Os cara lavada – Enquanto ontem, cidadãos de bem diziam que “primeiro a gente tira a Dilma”, outros se preocupavam com a Ursal, outros apoiavam Sergio Moro, outros “iam de capitão” e o Brasil hoje pede a eles que parem o que começaram.

Ricardo Piantino – Passos/MG E-mail: [email protected]

 

Isonomia para as punições

Em eficiente e célere investigação, a PF conseguiu solucionar e fazer a prisão preventiva dos cruéis assassinos no Amazonas. Estamos aliviados e confortados.

Estamos?

É possível a prisão preventiva no curso das investigações?

A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federa e dois eminentes ministros do Superior Tribunal de Justiça afirmam que é ilegal tal tipo de prisão, que seria um meio coercitivo para a confissão ou delação premiada. Até um órgão da Organização das Nações Unidas (ONU) enviou ofício ao Brasil para soltar um ex-presidente, até o trânsito em julgado, e agora estão exigindo punição imediata.

Chegou o momento de a sociedade exigir que a lei seja aplicada de forma isonômica. Cadeia imediata, também, para os criminosos de colarinho branco e políticos.”

Elias Nogueira Saade – Belo Horizonte/MG