Do Leitor

Alckmin de saída do PSDB

24 de junho de 2021

Geraldo Alckmin, como um dos fundadores em 1988, do PSDB, e, que, por três mandatos, governou o Estado de São Paulo, pode estar de saída da sigla tucana. E, sem perspectiva de ser indicado pelo partido para o pleito de 2022, porque o provável nome a ser indicado por João Doria, é do seu vice Rodrigo Garcia, são grandes as possibilidades de Alckmin, se transferir para o DEM ou PSD, para disputar o governo do Estado. Já que, detentor de um capital político invejável, seu nome pode também elevar o nível deste pleito para o Palácio Bandeirantes.

Paulo Panossian – São Carlos/SP E-mail: [email protected]

Supernotificação de óbitos

A CPI presidida pelo senador Omar Aziz, se séria fosse, coisa que não demonstra ser, deveria estar agindo no sentido de proceder à apuração da possibilidade de ter ocorrido supernotificação de óbitos por governadores e prefeitos, no intuito de receberem maiores recursos do governo federal. Bastaria requisitar auditores respeitados e representantes de cartórios de registro civil para atestarem por meio de pareceres se tal procedimento ocorreu ou não. Em vez disso, vemos a preferência pelo massacre do auditor que produziu estudo aventando a supernotificação. A tentação para a supernotificação é muito grande, pois o decreto que rege a distribuição dos recursos para o combate à pandemia por Estados e municípios faz uso da incidência da covid-19 para a transferência dos recursos, de acordo com os dados informados pelas Secretarias Estaduais da Saúde.

Jomar Avena Barbosa – Rio de Janeiro/RJ

Lázaro Barbosa

Como a Justiça deu a Lázaro Barbosa o benefício do “saidão” da Páscoa e permitiu inúmeras fugas de presídios? Com seu histórico de crimes jamais poderia sair da prisão. Agora temos mais mortes cometidas e um gasto enorme com sua captura.
Difícil entender tanta ineficiência.

Luiz Frid – São Paulo/SP