Do Leitor

A Embraer, a Boeing e a Pátria Amada Brasil

14 de Maio de 2020

O covid 19 é o responsável pelo cancelamento da entrega da Embraer à Boeing, dos EUA. A malfadada joint venture consistia na venda, pela Embraer, de 80% do segmento comercial (aviões até 150 passageiros) e 49% do avião KC-390, por 4,6 bilhões de dólares. Os acionistas lucrariam 1,6 bilhões de dólares.

Esse nefasto acordo teve conivência do Cade; foi defendido pela AGU; minimizado pelos Sindicatos; o MPF foi desclalificado para tratá-lo, foi ignorado pelo Dória e os prefeitos de São José dos Campos, de Botucatu e Gavião Peixoto silenciaram-se, mesmo sabendo do descumprimento do estatuto e de normas da CVM. Bolsonaro, que eu julgava ser o baluarte das cores e valores da “Pátria Amada Brasil”, poderia ter vetado o acordo com o golden share, mas não o fez, não se importou com os interesses do Brasil.

No dia 25 de abril fomos surpreendidos com a excelente notícia: “A Boeing desistiu de comprar a Embraer”. Essa entrega ilegal foi desfeita graças ao trabalho da Comissão Antitruste da UE; devido a falência moral, intelectual e financeira da Boeing e à crise do covid19.

A Embraer é uma empresa brasileira fundada em 1969. É a 3ª maior fabricante de aviões do mundo e ocupa a 3ª posição no ranking de exportações do Brasil . Embora privatizada em 1994 é a 3ª maior tomadora de empréstimo do BNDES. Fabrica aviões comerciais, executivos, agrícolas, de treinamento e militares . A Embraer é muito importante para o Brasil na geração de empregos de qualidade e como fabricante de produtos de grande valor agregado. É uma empresa aeroespacial valorosa, modelo no desenvolvimento de novas tecnologias, é imprescindível no fomento de outras plantas industrial.

E agora, vamos “vender” a Embraer ou buscar novos “parceiros”? O povo, os políticos, o congresso, o Bolsonaro e os quartéis permitirão que a Embraer seja passada à China? Vamos estatizar via BndesPar? Confio que o Bolsonaro vá se redimir do próprio erro, honrará seu discurso de Patriotismo e repatriar de vez a Embraer. É nosso patrimônio e não está a venda. A Embraer sabe voar sozinha, afinal, Santos Dumont nos deu asas! A Empresa “Brasileira” de Aeronáutica significa muito prá nós, a nossa Harpia Real é muito fênix: valente, resiliente e orgulhosamente Brasileira!
A Embraer é nossa! Força sempre, Brasil.

Jorge Moreira Maciel – Passos, MG