Do Leitor

500 mil mortos

23 de junho de 2021

Será que vão pretender um registro auditável de óbitos? Quem sabe não teríamos tido 499.999 mortes ao invés de 500.000?

Raul Moreira Pinto – Passos/MG

Pacheco e Mandeta

Paro e me ponho a pensar nas eleições de 2022. Pergunto-me: o que será do nosso Brasil? Pelo que já está sendo desenhado, há um risco muito grande de ficarmos ‘entre a cruz e a espada’. Oh, Deus misericordioso, livrai-nos desse perigo. Faça com que surja entre os bons políticos, ainda temos alguns, uma dupla para formar uma chapa que, se eleita, possa oferecer à nossa sociedade dias melhores. A velha política só destrói, chega. O populismo já fez muito mal ao nosso país. Nós eleitores não podemos mais cair no conto do vigário.
Eu acredito que uma chapa Rodrigo Pacheco e Luiz Henrique Mandetta poderá ser a salvação. Queiramos e busquemos a sensibilidade em lugar da insensibilidade; a paz em lugar do conflito, a civilidade em lugar da grosseria, podemos ter tudo isso e muito mais, basta que votemos com consciência. Procuremos não mais dizer: ‘Ah, se arrependimento matasse!’.

Jeovah Ferreira – Taquari/DF

Lula e Bolsonaro

Lula tenta passar-se por virgem imaculada vestida de noiva, pronta para o casamento com o eleitorado, a quem tenta seduzir.
Mas um olhar atento perceberá que seu vestido nupcial é feito da reciclagem do lençol manchado que cobriu o leito onde o petista entregou sua virgindade, gostosamente, ao corrupto poder. Apesar dos erros jurídicos de Sergio Moro e da Lava-Jato na condução de seus processos, o ex-presidente sabe que Bolsonaro, mesmo sendo vil, será um duro adversário no ano que vem.

Túllio Marco Soares Carvalho – Belo Horizonte/MG