Opinião

Agravamento da pandemia

POR PAULO NATIR

10 de março de 2021

E nós, pobres mortais, pensávamos que a Covid-19 iria nos dar uma trégua em 2021. Só que não – como diz a meninada – nos primeiros dias do mês de março o país vive o pior momento da pandemia – que assola o mundo há um ano. Além disso, há muitos dias o Brasil registra diariamente mais de mil mortes. Na semana passada outro trágico recorde negativo. Morreram em apenas um dia 1.910 pessoas. Uma tragédia gigantesca e anunciada.

Muitos hospitais e santa casas por todo território nacional estão com enormes dificuldades em atender os pacientes. Várias unidades de saúde beirão o colapso. Outras tantas já estão colapsadas. A expectativa para os próximos dias é assustadora. O Brasil ainda vai sangrar muito. Lotados também estão os cemitérios e os Institutos Médicos Legais por todo país – que estão colecionando corpos e mais corpos. Tudo isso gera uma imagem tristíssima e fúnebre. Será que merecemos isso?

O fator mais repudiante em todo esse contexto é a falta de empatia (afeto) e sensibilidade por parte do governo federal. O presidente Jair Bolsonaro não teve coragem e hombridade de ser solidário com as famílias de mais de 265 mil pessoas que morreram em decorrência do coronavírus em nosso país. O presidente mostra total omissão frente ao sofrimento doloroso de toda população. Ele é totalmente negacionista, incapaz e mentiroso.

Para agravar o vírus está sofrendo diversas mutações e apresenta novas cepas em diversos países, inclusive no Brasil. As novas variantes vêm atingindo pessoas mais jovens, inclusive indivíduos saudáveis, que não apresentam comorbidades e até crianças. O distanciamento social, o uso de máscaras e álcool em gel ainda são as principais armas. A espera por um leito de UTI ou mesmo de enfermaria obedece uma fila gigantesca. Muitos pacientes já morreram e vão continuar vindo a óbito por falta de assistência médica.

Vamos proteger nossas famílias. Nunca é demais lembrar: se possível fiquem em casa. As chances das pessoas se contaminarem em inúmeras aglomerações registradas por todo país é muito grande. Contaminados, os indivíduos levam a doença para suas casas e podem infectar toda família, principalmente os idosos. O Brasil inteiro deve registrar nos próximos dias e meses extremas dificuldades econômicas. Muitos brasileiros já estão passando fome.

Principalmente por isso o Congresso Nacional precisa aprovar urgentemente mais algumas parcelas do auxílio emergencial. O Congresso estuda a aprovação de uma PEC Emergencial (Proposta de Emenda à Constituição) para liberar recursos da ajuda sem atropelar o teto de gastos. Porém, acho que as autoridades estão mais preocupadas com a horrorosa PEC da Impunidade – que traz ainda mais blindagem para os políticos. Pode isso? Essa proposta é muito criminosa e a sociedade não pode aceitar mais essa aberração. Lembrando que uma das promessas do atual governo era o slogam: Menos Brasília/ Mais Brasil. Mais um grande engodo.

A vacina é uma realidade em grande parte do mundo. Porém, cientistas estão desesperados pois não sabem se os imunizantes serão capazes de nos proteger das inúmeras variantes que estão surgindo. Bolsonaro nunca correu atrás das vacinas. Só jogou contra. Exonerou médicos do Ministério da Saúde e nomeou mais um general para essa pasta que é mais sensível à população.

Só a solidariedade vai trazer consolo aos milhares de brasileiros que sofrem demais com essa terrível crise sanitária e social. Só Deus para nos dar misericórdia e consolo. Vamos aproveitar esse período da quaresma e fazer uma séria reflexão em nossas vidas. Sejamos mais humanos. Lembrando que a corda sempre arrebenta do lado mais fraco. Porém, a luta deve ser contínua. Estejamos e confiamos sempre no senhor Bom Jesus dos Passos. PS – Principalmente no Dias da Mulheres a sociedade precisa saber quem matou a vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista Anderson Gomes. Justiça, saúde e muita paz a todas as mulheres do mundo.

PAULO NATIR é Jornalista