Música Destaques

‘O Charme do Violão Mineiro’ traz Carminha

Adriana Dias / Redação

28 de junho de 2021

A pianista Carminha Guerra é a oitava convidada de ‘O Charme do Violão Mineiro’

A convidada para a oitava entrevista do ciclo ‘O Charme do Violão Mineiro’ da próxima terça-feira, 29, é a pianista e produtora musical Carminha Guerra, mineira de Belo Horizonte. Este ciclo é apresentado pelo violonista, professor e produtor cultural Celso Faria.

Realizado de forma remota, ele teve início no dia 11 de maio, sempre às terças-feiras, às 20h30, no canal do YouTube do violonista e nas redes sociais do Grupo Folha. Assista pelo link https://bit.ly/carminha-guerra.

Guerra estudou piano no Curso de Extensão e, posteriormente, no Curso de Graduação da Escola de Música da UFMG, com Vera Lúcia Nardelli Campos. Após atenta observação, quanto à lacuna discográfica na música brasileira, Carminha decidiu empreender um auspicioso projeto, a criação do Selo Karmin.

Este, que já conta com sessenta e um cds, tem como lema: o selo do compromisso. Em 1988, ocorreu o primeiro registro fonográfico do selo, “Floresta do Amazonas”, de Heitor Vila-Lobos (1887-1959), com Maria Lucia Godoy (canto), Henrique Morelenbaum (regente), Orquestra Sinfônica do Rio de Janeiro e Coro Masculino do Rio de Janeiro – primeira gravação brasileira.

Destacamos também, no catálogo do Selo Karmin, a presença da Orquestra de Câmara Sesiminas, da Orquestra de Ouro Preto, do bandeonista Rufo Herrera e Quinteto Tempos, do multi instrumentista Marco Antônio Guimarães, do Coral Infantil Cariúnas, além dos pianistas Arthur Moreira Lima, Tânia Mara Lopes Cançado e Eduardo Hazan.

O violão é um dos instrumentos mais bem representados no catálogo do selo. Dentre as produções violonísticas concretizadas por Carminha Guerra, podemos citar: “Cordas e Coração” (1989), “Vinícius nas Cordas de Gilvan” (1990), “Retratos” (1993), “Sol” (1995) e “Traquina” (1997), todos de Gilvan de Oliveira; “Universal”, de Fernando Araújo; “Violões do Horizonte”, álbum que reúne Toninho Horta, Juarez Moreira, Gilvan de Oliveira, Geraldo Vianna, Caxi Rajão, Weber Lopes e Wilson Lopes; “Paisagens Noturnas”, com Odette Ernest Dias (flauta) e Jaime Ernest Dias (violão); “Coisas da Vida”, com Wilfried Berk (clarinete) e Daniel Wolff (violão); e “Flor do Tempo”, com Weber Lopes (violão) e banda.