Música Destaques

Márcia Francisco é a 16ª convidada em ‘O Charme do Violão Mineiro’

Música

23 de agosto de 2021

A mineira Márcia Francisco é assessora e consultora em comunicação criativa e gestão de felicidade./ Foto: Reprodução.

A convidada para a entrevista de número dezesseis do ciclo ‘O Charme do Violão Mineiro’ de terça-feria, 24, é a assessora e consultora em comunicação criativa e gestão de felicidade Márcia Francisco, a mineira de Belo Horizonte. Este ciclo é apresentado pelo violonista, professor e produtor cultural Celso Faria.

Realizado de forma remota, ele teve início no dia 11 de maio de 2021, e ocorrerá sempre às terças-feiras, às 20h30, no canal do YouTube do violonista e nas redes sociais do Grupo Folha. Assista pelo link: https://bit.ly/marcia-francisco.

Márcia Francisco é formada em jornalismo pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (Fafi-BH), além de ter realizado estudos de teatro, canto e saxofone. Atuou como repórter fotográfica por seis anos, fazendo cobertura de eventos culturais. Ela é autora de três livros de poesia e também artesã.

A mineira presta serviços de consultoria em comunicação para empresas e também de forma particular e é palestrante. Assina a coluna ‘Gestão de Felicidade’, no Portal Impacto. ‘Márcia idealizou e coordena o Fórum e Meetings ‘O Feminino em mim’. Como assessora de imprensa já trabalhou com Antônio Villeroy, Carminha Guerra, Edinho Santa Cruz, Helena Jobim, Lô Borges, Marcus Viana, Milton Nascimento, Padre Fábio de Melo, Renato Teixeira e Saulo Laranjeira, dentre muitos outros.

A profissional também atuou na divulgação de diversas produções de destaque no cenário mineiro do violão, como os Cds ‘Violões do Horizonte’ (Toninho Horta, Juarez Moreira, Gilvan de Oliveira, Geraldo Vianna, Caxi Rajão, Weber Lopes e Beto Lopes), ‘Flor do Tempo’ (Weber Lopes), ‘Universal’ (Fernando Araújo), ‘O tom de Adélia Prado’ – todos produzidos pelo Selo Karmin -, e também ‘Recital Mineiro’ (Celso Faria), álbum independente; além do ‘I Concurso de Violão José Lucena Vaz’, do ‘Festival Internacional de Violão’ e dos ‘Manuscritos de Buenos Aires’ – obras recém descobertas de Francisco Mignone para dois violões, executadas por Fernando Araújo e Celso Faria.