Vacina pentavalente deve voltar até março

A vacina pentavalente é aplicada nas crianças aos 2, 4 e 6 meses e está em falta na rede pública de saúde. Provisoriamente, as crianças devem substituir uma das doses do esquema de imunização por uma combinação

10 de janeiro de 2020

BRASÍLIA – A distribuição de vacina pentavalente deve ser normalizada até março, segundo informações do Ministério da Saúde. Como solução provisória, as crianças devem substituir uma das doses do esquema de imunização por uma combinação da vacina adsorvida que protege contra difteria, tétano e coqueluche/pertussis (DTP) com o imunizante contra hepatite B (HB).  A vacina pentavalente é aplicada nas crianças aos 2, 4 e 6 meses e está em falta na rede pública de saúde. Os reforços ou complementações em crianças a partir de 1 ano são realizados com a DTP. Ela garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria Haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta, segundo o Ministério da Saúde.