Salto evolutivo

21 de fevereiro de 2020

A sexta geração do Hyundai Azera chegou o Brasil no fim do ano passado. Desde que começou a ser oferecido no País, em 2008, o sedã sul-coreano se tornou referência de estilo e conforto no segmento. O novo Azera traz várias inovações no estilo e tecnologia, amplo pacote de equipamentos e atualizações no conjunto mecânico. O preço sugerido é de R$ 297.300.

Há boas novidades implementadas no motor 3.0 V6 a gasolina. Agora são 261 cv de potência e 31 mkgf de torque. Em relação ao anterior, houve ganho de 11 cv e 2 mkgf, respectivamente.

Isso é resultado da adoção de novas tecnologias que contribuíram também para a redução do consumo de combustível e das emissões de poluentes. É o caso da injeção direta de gasolina e do comando variável para as válvulas de admissão e escape. Há ainda coletor de admissão variável e acelerador eletrônico.

 

O câmbio também é novo. O automático de seis marchas da quinta geração deu lugar a outro, bem mais moderno e eficiente, de oito velocidades. A tração é no eixo dianteiro.

 

Isso deixou o Azera mais esperto em arrancadas e retomadas de velocidade. As respostas são muito boas, a despeito de o sedã ter peso de 1.622 kg. Trata-se de um modelo focado em oferecer conforto para até cinco ocupantes.

Há quatro opções de modos de condução (Eco, Comfort, Sport e Auto). Entre a Eco, voltada ao melhor consumo, e a Sport, a diferença de respostas aos comandos do acelerador é clara.

Para deixar a tocada ainda melhor, especialmente no modo esportivo, bem que o Azera poderia ter aletas no volante para trocas manuais de marcha. Essa opção está disponível apenas por meio da alavanca no console.

As suspensões, independentes na dianteira e traseira, trabalham bem e garantem bom nível de conforto. O sistema é eficiente e filtra bem os solavancos, inclusive quando o sedã roda sobre piso ruim e considerando que as rodas de liga leve têm 19 polegadas.

A carroceria permanece firme mesmo em curvas e quando o motorista exige um pouco mais do acelerador. A assistência elétrica da direção é adequada à proposta do sedã. Embora tenha respostas um tanto indiretas, garante conforto e passa sensação de segurança ao volante.

Em termos de dimensões, o novo Azera praticamente não mudou em relação ao anterior. São 4,93 metros de comprimento, 1,86 m de largura e 2,85 m de distância entre os eixos. O porta-malas ganhou 54 litros e agora tem 515 l.

Um eventual quinto ocupante sofrerá um pouco por causa do túnel central elevado. Isso reduz o espaço para as pernas. Já a área para os ombros é ampla mesmo quando houver três adultos viajando no banco de trás.

A ergonomia é boa. Todos os comandos ficam ao alcance do motorista e é fácil acionar os vários sistemas do carro. A central multimídia tem respostas rápidas, mas o estilo da interface poderia ser mais moderno. O mesmo ocorre com o painel de instrumentos.

 

Um sedã completo

 

Oferecido em versão única, o Azera traz ampla lista de equipamentos. De série há sete air bags, controles de tração, estabilidade e de velocidade de cruzeiro adaptativo. Teto solar panorâmico, carregador de celular por indução (sem fio), alerta de ponto cego, bancos dianteiros com ajustes elétricos, ventilação e aquecimento, além de volante de couro com aquecimento, também fazem parte do pacote.

Outros destaques são o som de alta fidelidade, a central multimídia com tela de 8 polegadas com integração às plataformas Android Auto e Apple CarPlay, câmeras de 360º e o sistema de frenagem de emergência automática (sem interferência do motorista). Cortina retrátil no vidro traseiro, o ar-condicionado com duas zonas e os faróis e lanternas Full-LEDs também agradam.

No visual, o Azera ficou mais comportado que o da geração anterior, que chamava a atenção por onde passava. As linhas são harmoniosas, porém mais conservadoras.

Na traseira, o sedã mantém o "DNA" do estilo dos modelos das gerações anteriores. Embora tenham mudado bastante, as linhas mantiveram o conceito das lanternas unidas por uma barra iluminada.
Na cabine o novo Azera mostra sua maior evolução. O acabamento é de muito boa qualidade e inclui materiais como couro revestindo volante, painel e bancos. As peças plásticas são bem encaixadas e aparentam o nível de qualidade que faz jus à categoria.

 

Concorrência

 

O Hyundai Azera chega para disputar mercado na mesma faixa de dois modelos feitos no Japão. Um deles é o Toyota Camry, sedã com 4,88 metros que custa R$ 225.990 e tem motor 3.5 V6 de 320 cv e 37,7 mkgf. O câmbio é automático de oito marchas. A capacidade do porta-malas é de 593 litros.

Já o Honda Accord, tabelado a R$ 204.900, tem motor 2.0 turbo com injeção direta de gasolina que gera 256 cv (o torque é o mesmo do Camry) e câmbio tem dez marchas. O sedã com jeito de cupê tem 4,89 metros de comprimento. Seu porta-malas acomoda 574 litros.