Ruim como ela só

18 de fevereiro de 2020

Guilhermina Guinle interpreta Dominique, a grande vilã de Salve-se quem puder. Na novela das 19h da Globo, a advogada faz parte de uma organização criminosa internacional e foi quem atirou contra o juiz Vitório (Aílton Graça). No dia do crime, Alexia/Josimara (Deborah Secco), Kyra/Cleyde (Vitória Strada) e Luna/Fiona (Juliana Paiva) foram testemunhas e agora são perseguidas pela tia de Renzo (Rafael Cardoso). Mesmo com a notícia de que o trio morreu no furacão, ela ainda fica desconfiada e manda o sobrinho vigiar os parentes das mocinhas.

“É muito bom fazer uma vilã. É divertido porque você acaba falando coisas que jamais falaria na vida. Quando você lê o texto, vê aquelas coisas horrorosas. Minha personagem maltrata a empregada, dá ordens o tempo todo, é bem distante de mim. Fica mais legal de fazer, pois é um grande exercício de atriz”, comemora Guilhermina.

Na trama, Renzo discorda dos métodos de trabalho de Dominique, mas não consegue se desvencilhar do domínio dela. O rapaz é grato por ela ter lhe proporcionado uma vida confortável. Porém, se de um lado a tia torce para trazê-lo para o time do mal, a governanta Lúcia (Cristina Pereira) se dedica a protegê-lo e incentivá-lo a romper com os caminhos propostos pela vilã. Segundo a intérprete, no fundo, esse lado bom de Renzo deverá prevalecer.

“O personagem do Rafael é um menino bom. A Dominique que quer levá-lo para o mau caminho. Pelo que a gente tem visto até agora, a índole do Renzo é boa. O pai dele sumiu no mundo e o deixou para a tia criar. Apesar de ter capangas, ela deseja que o sobrinho fique ao seu lado, pois é alguém de confiança”, observa.

Em sua preparação para viver uma advogada, Guilhermina não buscou a ajuda de filmes ou séries Desta vez, a atriz preferiu contar com o marido, o advogado Leonardo Antonelli, a quem recorreu para saber alguns termos técnicos. Segundo ela, outra dificuldade é ter uma linguagem mais formal, normalmente usada por esses profissionais.