Preços de máscaras sobem 395% em Passos e caixa chega a custar R$99

9 de março de 2020

PASSOS — Mesmo após o Ministério da Saúde garantir que não é necessário pânico em relação ao novo coronavírus no Brasil, a procura por máscaras cirúrgicas, álcool em gel e luvas tem aumentado significativamente em todo o país. Na região, Passos, Piumhi e São Sebastião do Paraíso enfrentam dificuldades na manutenção dos estoques, e neste sentido, grande parte das farmácias já não tem produtos suficientes para atender a demanda.O pânico em relação ao vírus, além de ter provocado alta de até 200% na busca para itens de proteção, também resultou no aumento dos preços dos produtos, que quando encontrados, estão sendo ofertados por valores até três vezes maiores que os convencionais.São Sebastião do Paraíso, cidade onde registrou-se um caso suspeito da doença, a procura tem resultado em aumento de até 50% no valor de máscaras cirúrgica. No caso das luvas, a alta foi de 33%, enquanto que o preço do álcool subiu 23%.“A procura está gigantesca, não temos mais máscaras para oferecer. Álcool em gel e luvas, apesar de ainda termos, estão acabando e não há previsão de reposição, todas as fornecedoras estão em falta, quando conseguem disponibilizar, passam com um preço alto, que infelizmente, precisamos repassar ao consumidor”, explicou o balconista Daniel Duarte Nades.Em outra drogaria paraisense, o gerente comercial Washington Vanin espera que as máscaras sejam repostas ainda nesta semana. “É praticamente impossível comprar um estoque, mas a promessa dos distribuidores é que, durante a semana, a gente receba. No caso do álcool em gel, é surpreendente a alteração no preço, se antes nós conseguíamos vendê-lo por R$8,90, hoje temos que comprá-lo por R$9,90”, disse.Na cidade de Passos, uma caixa de máscaras simples, com 50 unidades, era vendida, em média, por R$20, após aumento de 395%, o total a ser desembolsado pelo consumidor é de R$99. Para quem prefere a compra por unidade, a diferença foi de R$1 pra até R$3. “Apesar de termos estoque e a procura ter aumentado, o pessoal está bem preocupado com o preço”, informou um comerciante.Já em Piumhi, apesar da alta de preços de até 150% e aumento de 200% na procura dos produtos, ainda é possível encontrar localidades sem alterações. “Não aumentamos os preços, mas hoje não temos mais máscaras e nem conseguimos comprá-las. Para o álcool em gel, o preço permanece em R$4,99”, informou a farmacêutica Daniela Melo. OMS faz alerta A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta na última terça-feira, 03, para o rápido esgotamento dos estoques de equipamentos como máscaras, óculos e luvas. “Estamos preocupados com o fato de que a habilidade dos países de responderem à epidemia está sendo comprometida com a escassez severa e crescente de equipamentos de proteção individual, causada pela demanda em alta”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva.Michael J. Ryan, diretor executivo do programa de saúde emergencial da OMS, lembrou que as máscaras servem principalmente para prevenir que alguém com a doença passe a outras e não deveriam ser usadas por pessoas sem coronavírus. “As coisas mais importantes que todo mundo pode fazer são lavar as mãos, manter as mãos longe do rosto e observar outras práticas de higiene”, considerou.