Opinião: Exemplos

3 de dezembro de 2019

“A verdadeira estima (sentimento de carinho) é a doação”.

 

O sagrado mês de dezembro já começa com mais uma grande tragédia na segunda maior favela de São Paulo (Paraisópolis) – muito conhecida principalmente por ser vizinha de um dos bairros mais
ricos da capital paulista (Morumbi).

 

É muito explosivo e puro fascismo ver autoridades estimular a opressão a um povo carente que sofre muito “os dramas e mazelas de um cotidiano grotesco à base de violência, desemprego, desigualdade social, racismo, homofobia”, como bem nos lembrou o brilhante colunista e advogado Luiz Negrinho em seu artigo, no último domingo, neste mesmo espaço.

 

Exemplo de selvageria das autoridades também vem do Rio de Janeiro (RJ). A população carioca precisa, urgentemente, conter os impulsos violentos do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC). Agora, ele quer lançar mísseis nas favelas para combater o tráfico de drogas. Tem base? Esse
juiz político ainda diz que é cristão…

 

O mestre e cantor baiano Raul Seixas nos dizia, como muita magia, que “todo ser humano é
um universo”. Portanto, todos nós devemos trabalhar muito para que a galáxia funcione em perfeita
incronia. Vamos incluir. Chega de repressão!!!

 

O mês de dezembro nos propicia reflexão. Vamos parar de pensar só no próprio umbigo. O importante é a coletividade. Vamos pensar globalmente e agir localmente. Graças a Deus, exemplos de boa ação não faltam. Muito obrigado a todas as pessoas e instituições que têm se esforçado muito para levar, diariamente, um pouco de dignidade para nossa população sofrida.

 

Um exemplo primoroso de vida e fé nos foi apresentado com muito talento, no Entre Prosas desta Folha, no último domingo. A colega Adriana Dias nos apresentou um rico bate-papo com a querida passense irmã Wanilda Melo Bárbara – conselheira-geral da Congregação de Religiosas Concepcionistas Missionárias do Ensino (que em Passos mantém o Colégio Imaculada Conceição (CIC). Só a educação e Cristo vão salvar nossa nação.

 

Com tantas “cacetadas”, nem mais Freud explica o comportamento humano nesta segunda década do século 21. Porém, “Tudo que aqui Ele deixou/ Não passou e vai sempre existir”, como canta o rei Roberto. Que possamos, neste fim de ano, ser mais humanos. Tenham uma boa semana…

PS – Para comemorar o grande sucesso da 1ª Queima do Alho em Passos, uma festa sem precedentes, devemos, mais do que nunca, estimular a cultura popular.

PAULO NATIR é Jornalista