O descanso do kaiser

30 de dezembro de 2019

O ano chega ao fim e é inevitável buscar o balanço do que foi feito no período. No circuito da moda, o fato mais destacado foi o desaparecimento do estilista Karl Lagerfeld – um dos últimos a marcar a moda mundial através de um estilo pessoal. No seu caso, com a particularidade disto ocorrer através de uma marca que não era a sua – mas poderosíssima – cujo nome é Chanel. Considerada o nome mais valioso, isoladamente, da moda mundial ele a comandou, renovou e lucrou. Muitos bilhões de dólares.

Tudo isso, sem deixar o trabalho na italiana Fendi (onde atuou durante 50 anos) e sua própria marca, a KL, e centenas de ações paralelas – seja como fotógrafo, escritor, cineasta, etc.etc.etc. Por isso mesmo, era considerado o kaiser (imperador) da moda. Sem papas na língua, criticou, com acidez cortante, esses tempos de hipocrisia moralista – pois via o mundo como ele, realmente, é.
Com a mesma elegância que viveu sua vida, também morreu. Discretamente, sem lamentos e deixando uma herança fashion única. Daí, a homenagem especial da coluna a ele ao final de um velho ano e às vésperas de um 2020 – que se anuncia um pouco melhor para quem vive da moda.
Um ótimo Ano Novo para nossa(o)s leitora(e)s!

 

VAIVÉM

O mês de janeiro começa com intensa movimentação fashion. A partir do dia 12 até o dia 15 será realizada, em São Paulo, a feira TM, no Hotel Pestana. No mesmo período, acontece naquela cidade a Couromoda – tradicional salão de negócios ligado ao setor de sapato & bolsa.
***

 

Novidade 2020 na moda mineira: a maioria das grifes de pronta-entrega (no atacado) no pólo de Beagá, vai lançar sua moda invernal já em janeiro. Dois motivos para o adiantamento: os lojistas venderam bem no Natal e o Carnaval está muito longe. É a chamada ‘data sanduiche’, com muito molho de cifrões, espera-se

 

PONTO FINAL

E por falar em Carnaval em março, esse ‘atraso’ da folia de Momo mexe mesmo com a moda. A saber: o mês de abril será intenso em eventos, desde a Minas Trend até a São Paulo Fashion Week. Até o Rio, que anda meio fora do circuito, remarcou seu Veste Rio para a primeira quinzena de abril. Todos com feira de pedidos para o verão 2021. Haja fôlego!

RETROSPECTIVA

A busca por moda sustentável cresceu 26%!

Em 2019, a sustentabilidade foi um dos temas de destaque na indústria da moda. Jornalistas de moda, como Lillian Pace, falam de sustentabilidade desde 2008. Mas parece que foi só em 2019 que a indústria acordou de verdade e começou a buscar alternativas mais eficientes. Sustentabilidade não é uma tendência, mas sim uma necessidade! Tanto que já mostramos aqui um estudo norte-americano que revelou um crescimento de 811% do volume de lixo têxtil nos Estados Unidos entre 1966 e 2015. Mas é fato que a gente está mais ligada no assunto: a busca pelo termo “moda sustentável” no Google cresceu 26% em relação a 2018, enquanto “sustentabilidade” aumentou 11%. De roupas até colchões e sofás que são descartados, o lixo têxtil é um dos grandes problemas do mundo hoje.

O ano começou com o lançamento da CEO Agenda 2019 pela Global Fashion Agenda na reunião anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça. No evento, que reúne pessoas importantes na política e na economia mundiais, estavam presentes grandes executivos da indústria da moda, incluindo H&M, Asos e Levi Strauss & Co., para discutir como a moda pode se tornar mais sustentável num ritmo mais acelerado.

Este ano também foi criada a campanha Together Band, da qual eu sou embaixadora! Ela é o resultado da união entre a marca de luxo britânica sustentável Bottletop e a ONU, e tem como objetivo mobilizar o mundo para cumprir os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Também teve o “My Eco Resolution”, campanha que a Cara Delevingne lançou em janeiro propondo a adoção de pelo menos um hábito sustentável em nossas vidas. E no SPFW N47, rolou edição especial do desafio que lançado em 2017, o #1lookporumasemana.