Natação do CPN tem participação histórica no Joju e Jojuninho

24 de novembro de 2019

PASSOS – A natação do Clube Passense de Natação (CPN) teve um fim de semana de muitas conquistas por equipe e individuais nadando nas piscinas do seu próprio parque aquático pelo Joju e Jojuninho, promovidos pela Associação Esportiva dos Municípios do Sul e Sudoeste de Minas Gerais (Assesmig). Além dos títulos, ainda foram quebrados três recordes da competição, que já duravam dez anos, e alcançados índices nacionais.A equipe do CPN foi composta por 37 atletas com idades entre 7 e 16 anos. Foram conquistadas 62 medalhas, sendo 28 de ouro, 20 de prata e 14 de bronze. Dessas, 50 medalhas foram individuais (19 de ouro, 18 de prata e 13 de bronze), e o restante nas equipes de revezamento.No Jojuninho, foram estabelecidos três recordes. Um pela atleta Júlia Torres, na prova de 50 metros, nado borboleta, e outros dois pelos revezamentos 4×50 metros, medley, feminino, composto pelas atletas Júlia Torres, Maria Eduarda Matos, Maria Beatriz Raposo e Letícia Teixeira, e 4×50 metros, medley, masculino, com os atletas Bento Lemos, Murilo Rachid, Davi Alves e Joseph Santos.O CPN alcançou, ainda, dois índices de participação para os Campeonatos Brasileiros Infantis, de até 13 anos, em 2020, na prova de 200m nado borboleta, com os atletas Davi Alves e Júlia Torres. Foram conquistados também pelos nadadores do CPN o melhor índice técnico, atleta mais eficiente e atleta revelação, com a nadadora Júlia Torres Mata (12 anos), no feminino, e melhor índice técnico, com João Pedro Orlandini (16 anos) e atleta destaque e revelação com Davi Alves (12 anos).Um dos destaques do fim de semana de competições em Passos foram os atletas Rafael Bitencourt (10 anos), que assumiu a primeira posição do ranking brasileiro em piscina de 25m na prova de 100m borboleta, e Bento Lemos (10 anos), que fez o mesmo nas provas de 50m e 100m, nado costas, em piscina de 25 metros.“Olha, esse fim de semana foi maravilhoso, de muitos troféus, recordes e liderança do ranking brasileiro. Sem dúvida, um desempenho de encher os olhos. Vamos continuar trabalhando firmes e sempre com a intenção de melhorar as marcas e conquistar mais medalhas”, disse o técnico da equipe, Valcir Filho (Dida).O bom desempenho se repetiu no Joju, onde foi conquistado o tricampeonato masculino (2017, 2018 e 2019), e o bicampeonato feminino (2017 e 2019). O Vermelho e Branco obteve também o melhor índice técnico feminino, com a atleta Júlia Torres, e atletas destaque com Maria Eduarda Matos e Maria Beatriz Orlandini. No masculino, João Pedro Orlandini foi o melhor índice técnico e atleta eficiente, esse último conquistado também por Bento Lemos e Davi Alves.