Leitor: Para onde a gente vai

6 de janeiro de 2020

Preciso de um destino, para onde irei. Para seguir meus intentos, quero ir longe. Durante esta longa caminhada, quero contar os animais, as árvores – seus tipos, contar as nuvens, se de dia, os seus formatos. Se de noite, quero curtir as estrelas no céu. Ver a lua e contemplar sua formosura, seu selênico despontar e sua grandeza, e imaginar coisas… Sonhar sonhos de outro planeta. Se de dia, o Sol queima, mas traz luz para o caminho para onde vamos. E vamos longe. Mas para onde vamos? Onde vamos parar ou não vamos parar? Para prosseguir em qual destino? Vamos seguindo e vendo tudo que encontramos pela frente. Até quando? Ainda não sabemos. Só sei que quero seguir. Mas… para onde? Talvez, para um lugar que não conhecemos. Taí uma boa. Conhecer novos ares, novas praças, novas gentes, lugares bonitos, ainda desconhecidos, atraentes, pitorescos. Chega de só ver os mesmos… A vida nos proporciona agradáveis surpresas e aventuras. Então, por que não vivê-las? Fica na mesmice quem quer! Quem não busca desafios, vai passar a vida em brancas nuvens! “E quem passou pela vida em branca nuvem e em plácido repouso, adormeceu. Quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu, foi espectro de homem, não homem. Só passou pela vida, não viveu”. Então, para onde vamos nós? Se – “Todo ser humano é como a relva e toda a sua glória, como a flor da relva: a relva murcha e cai a sua flor”. (I Pedro 1.24). E vamos para um 2020 diferente!

Fernando de Miranda Jorge – Jacuí/MG 

Tal qual o PT

Depois de passar seu primeiro mandato sem privilegiar programas para área social, o que mereceu críticas, agora, Jair Bolsonaro, deseja reformular os programas petistas para fincar como de seu governo uma marca social. Como no caso do Bolsa-Família e no programa Minha Casa Minha Vida, como publica o Estadão. Ou seja, tal qual, fez o PT de Lula, para dizer que era seu, mudou o nome do robusto programa social criado por FHC, como o Bolsa-Escola, para Bolsa-família, também Bolsonaro, deseja mudar não somente o nome do Bolsa-Família, como também do programa habitacional Minha Casa Minha Vida, para “Renda Brasil”. Pura falta de criatividade, mas, de ação meramente populista. Ou seja, o importante para essa classe politica, e assim está agindo também Bolsonaro, o objetivo principal não é promover benefício social, mas, uma promoção pessoal… Tudo como dantes…

Paulo Panossian – São Carlos/SP 

Inventário

No inventário de Marisa Letícia o ex-presidente Lula da Silva declarou oficialmente que o patrimônio do casal é de R$ 11,7 milhões. Ora, nem em cem anos um presidente da República poderia acumular essa fabulosa quantia.

Waldomiro Benedito de Carvalho – Itapetininga/SP