Hugo Fonseca lança ‘Bloco do Povo’

5 de fevereiro de 2020

PASSOS – “Voltei. Avisa lá que eu vou, avisa lá que eu vou”. É assim que começa o samba que o passense Hugo Fonseca fez para o Carnaval de 2020 e já tem, em menos de três dias, 393 visualizações no Youtube e centenas de pessoas ouvindo pelo Spotify e Deezer e amigos divulgando pelas redes sociais. O clipe será lançado no próximo dia 14 e deve ser uma das canções que vai fazer os paulistanos balançarem em um dos blocos de Carnaval da capital.

 

Mineiro, filho de Paulo Fonseca e Rosania Aparecida de Sousa Fonseca, o advogado formado pela Universidade de Brasília (UNB) Hugo Fonseca divide seu tempo entre estas duas paixões: o Direito e o samba. Ele conta à reportagem, durante o lançamento de sua música em Passos, numa roda de samba, que desde criança vive sob a influência de boas músicas com seus pais, tios e avós.

“Vivi num espaço musical privilegiado. Meu avô Divino Souza tocava viola e violão e aprendeu sozinho. Eu aprendi com minha mãe e minha tia Regina. Participei de festivais como o Canta Fesp, tendo vencido por dois anos com canções brasileiras, porém, só recentemente é que comecei a compor. Foi por intermédio de um terreiro de Umbanda, como médium, é que me reconectei com minha essência, com minha criança interna. Foi na força da curimba, onde sou tocador de atabaque, que me fortaleci e deu-se início à minha fase criativa para as composições de samba”, afirmou o músico.

Ainda segundo o compositor, tal qual disse João Nogueira, “vivo para cantar e canto para viver”. Ele tem, em pouco mais de um ano, 11 canções. “Quero gravar um EP com cinco ou sete músicas e a carro-chefe já está gravada pelo estúdio Move Paraíso, de São Paulo, que é Bloco do Povo. Tive a felicidade de conhecer no terreiro, em Brasília, o músico Walter Villaça, que tocou com Cássia Eller e, já em São Paulo, conheci o produtor Fernando Nunes, também da equipe de Cássia Eller. Eles convidaram o percussionista China Cunha, que toca na banda Jamil. Então, minha música ganhou corpo sendo violão e guitarra de Walter Villaça; contrabaixo de Fernando Nunes; percussão de China Cunha e eu na voz e composição”, contou, acrescentando que o clipe foi gravado no Bloco Pirata, em São Paulo.

Sobre o processo de criação de “Bloco do Povo”, Hugo Fonseca lembra que estavam conversando no escritório em São Paulo, onde trabalha, sobre Carnaval. “Veio a música e a melodia inteiras na minha mente, virei para o computador e escrevi. Fui ao banheiro e cantei gravando no celular para não me esquecer. Chegando em casa, toquei no violão. Foi meio mágico”, finalizou, convidando os leitores a curtirem pelo Instagram @hugo.fonseca ou Bloco do Povo, no Youtube.